Médicos cubanos facilitam a comunicação no atendimento à refugiados venezuelanos, em Santarém

publicidade

Ação de saúde foi realizada nesta sexta-feira (27). A equipe tem 15 profissionais, sendo três deles do programa Mais Médicos.
Atendimento feito pelos médicos cubanos facilita comunicação com os indígenas venezuelanos (Foto: Fábio Cadete/G1)

Os venezuelanos refugiados que estão abrigados na Casa Franciscana em Santarém, oeste do Pará, receberam na manhã desta sexta-feira (27), mais uma ação de saúde. No total, 61 imigrantes entre crianças e adultos, homens e mulheres, foram atendidos com serviços como consultas médicas, medição de pressão arterial, testes rápidos de glicemia, hepatites e sífilis.

A equipe tem 15 profissionais, sendo que três são médicos cubanos do programa Mais Médicos para facilitar a comunicação no atendimento. “Tivemos esse cuidado em relação à comunicação, que continua sendo o maior obstáculo do atendimento. Os médicos cubanos falam bem espanhol, e isso facilitou bastante”, disse o coordenador da equipe de saúde da família (ESF), Marlon Marinho.

Por iniciativa da Secretaria Municipal de Saúde, o atendimento deve ser realizado a cada 15 dias. Nenhum caso grave foi registrado, mas houve situações em que foi preciso o paciente ser encaminhado para uma unidade de saúde. “Se for preciso, nós encaminhamos para uma UBS. Inclusive, vale ressaltar que apesar de ser de 15 em 15 dias a nossa presença no local, qualquer situação que possa vir a se desenvolver no intervalo desse período estamos prontos para o atendimento”, reforçou o coordenador.

A médica cubana Yulenna Guibbon, já está em sua terceira missão dentro do programa Mais Médicos. “Já passei por experiências como essa na Venezuela, e eu me sinto bem justamente porque em Cuba fui formada para prestar assistência no sistema público, de graça, para pessoas mais necessitadas”, concluiu a médica.

A imigração

Por conta da crise econômica e a falta de alimentos na Venezuela, os indígenas daquele país têm migrado para o Brasil, em especial, para Santarém. Em um primeiro momento, no dia 28 de setembro, um grupo de 25 refugiados chegaram na cidade. Porém, atualmente já são cerca de 60. Autoridades têm se esforçado para solucionar a situação dos imigrantes em Santarém, e vários serviços já foram disponibilizados a eles.

BlogdoCarpê com informações do G1 Santarém 


Nenhum comentário