assinado no Porão do Alemão deixa esposa e duas filhas pequenas Tristeza e dor.

publicidade


Manaus- A tragédia ocorrida na madrugada deste sábado, 25, por volta das 3h, abalou a cidade de Manaus. Após uma discussão, o delegado Gustavo Sotero do 1 DIP, disparou contra 4 pessoas, uma vitima fatal, o advogado Wilson Lima Justo Silva de 35 anos.

Wilson era um homem de boa índole e que vivia para sua família e trabalho.

Um pai exemplar que deixa duas filhas pequenas. Muita tristeza e dor entre amigos que conheciam Wilson e sabiam que ele era um homem que não se envolvia em confusão e que estava ali apenas para se divertir com a esposa.

Mas, infelizmente, esse homem bom e pai de família, que curtia momentos alegres com a esposa, se deparou com o delegado Sotero, homem agressivo e violento (conforme registros de 2014), que estava alcoolizado e descontrolado.

O delegado ainda tentou justificar a atitude cruel dizendo que agiu em legítima defesa, pois momentos antes havia “levado um soco”, e só por isso sacou a arma, executando a vítima na frente da esposa. Mas como justificar um ato tão bárbaro e covarde?

A família está em luto. Os amigos estão desolados. Os frequentadores do Porão do Alemão estão em choque. A população está indignada com esse crime que abalou Manaus e que virou notícia nacional.

O que se espera agora é que o assassino de Wilson continue preso e responda por esse crime. À família, nos resta apenas desejar que Deus conforte o coração de cada um, e principalmente os das duas crianças que irão crescer sem a presença do pai.

Que a justiça seja feita!





Nenhum comentário