Desembarque do PSDB só falta ser formalizado

publicidade


O senador Flexa Ribeiro, presidente do PSDB no Pará, não tem mais qualquer dúvida quanto ao posicionamento do partido, em âmbito nacional, com relação ao governo de Michel Temer.
“Acho que a saída é irreversível. Pelo rumo em que as coisas estão encaminhando, em que as conversas estão se processando, acho que o desembarque é inevitável”, disse o senador, em conversa com o Espaço Abertopor telefone.
Flexa acredita que, superada essa questão, o partido poderá pensar mais concretamente em definir seus potenciais contendores às eleições presidenciais do próximo ano. “A nossa intenção é começar 2018 já definindo que teremos candidato próprio a presidente da República”, afirmou o senador.
Nesta quarta-feira, o senador Tasso Jereissati (CE) lançou sua candidatura à presidência do PSDB (na foto). A eleição está marcada para a convenção nacional do partido, em 9 de dezembro. Ele vem exercendo a presidência interina desde maio. Na época, o então presidente da sigla, senador Aécio Neves (MG), foi afastado em razão das denúncias contra ele na delação premiada de executivos da JBS.
Nos últimos meses, setores do PSDB alinhados com Tasso tentaram convencer Aécio a renunciar à presidência, mas o senador mineiro se recusou. A ala tucana ligada a Aécio é mais próxima do governo Michel Temer e defende a permanência do partido na Esplanada nos Ministérios.


Aos poucos, como se vê, o PSDB vai abandonando o muro.


Nenhum comentário