Veja como fazer empréstimo consignado com segurança

publicidade

Quando surge um imprevisto ou mesmo uma oportunidade como, por exemplo, a quitação da compra da casa com desconto, contratar um empréstimo consignado pode ser uma boa opção. Contudo, ter cautela e buscar o máximo de informações sobre essa modalidade de crédito é primordial antes de efetivar a contratação. No Brasil, a taxa de juros máxima para a concessão do empréstimo é de 3% ao mês.

Voltado para aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), também para servidores públicos e trabalhadores com carteira assinada, o pagamento desse tipo de empréstimo pode ser parcelado e os juros acrescidos às prestações devem ser pré-fixados em contrato. Ou seja, não podem ser reajustados posteriormente. Essas parcelas são descontadas diretamente da folha de pagamento do empregado ou do benefício previdenciário, no caso de aposentados ou pensionistas.

INSTITUIÇÕES

“A primeira coisa a fazer é verificar quais instituições financeiras são autorizadas pelo Banco Central para fazer esse tipo de contratação”, explica o educador financeiro Haelton Costa. Ele diz, ainda, que o cliente precisa verificar a taxa de juros cobrada pela instituição, o prazo de pagamento e o custo total da operação. É possível simular a contratação indo diretamente na instituição ou acessando o site. “Nem sempre o banco em que você é correntista é o que oferece a melhor taxa. As cooperativas de créditos são hoje as instituições que oferecem as melhores taxas de juros”, pontua.

O contratante também precisa verificar se todas as condições oferecidas estão fixadas no contrato. O especialista ressalta que, em nenhuma hipótese, a pessoa deve aceitar uma proposta de empréstimo de quem faça contato por telefone. Segundo ele, as instituições sérias não fazem esse tipo de abordagem. “Quem esperar para contratar um empréstimo no fim do ano contratará com uma taxa de juros mais baixa. No início do ano estava em 2,5% e já baixou para 2% porque a Selic também está reduzindo”, explica.
Pryscila Soares/Diário do Pará)D


Nenhum comentário