Esquema dentro do Setrans é denunciado

publicidade

Uma bomba está prestes a explodir dentro do Sindicato das Empresas de Transportes Públicos de Santarém e Belterra (Setrans), envolvendo o atual presidente Mário Borges.
FIQUE POR DENTRO: Em março deste ano, duas chapas se uniram para fazer parte da nova diretoria do Setrans, que ficou assim composta: Presidente: Mário Borges, vice: Washington do Vale e; tesoureiro: Jean Márcio. Na ocasião, segundo o denunciante, como Washington do Vale já estava há 17 anos trabalhando no Sindicato, ficou acertado que o mesmo permaneceria na administração do Setrans e Mário Borges como presidente efetivo.
Até aí, tudo bem. Porém, depois que Mário Borges foi efetivado como presidente, começou a hostilizar Washington do Vale, de todas as formas, deixando-o de fora de qualquer assunto. Sendo que um dos primeiros atos de Mário Borges foi retirar o computador da sala de Washington, que ficou sem saber o que fazer. Sem falar que Mário Borges faz reuniões e não comunica aos outros dois membros da diretoria (Washington e Jean Márcio). O mais grave, segundo a denúncia, é que quando Washington ficava sabendo das reuniões e entrava na sala, o presidente Mário Borges saía do local, deixando Washington sozinho. Isso aconteceu várias vezes.
SUMIÇO DE DINHEIRO: Um caso grave e que está causando grande revolta dentro do Setrans, é que o dinheiro das contas do Sindicato foi retirado pelo atual presidente Mário Borges e depositado em outras contas. Segundo o denunciante, a partir daí começou-se a lapidar o dinheiro do Sindicato. Um fato que chama atenção, é que na diretoria antiga, nesse período de final de ano o Sindicato sempre fez dividendos entre os associados, para salvaguardar o 13º das empresas, mas este ano isso não aconteceu. A pergunta que todos fazem: Onde foi parar esse dinheiro?
DINHEIRO GASTO EM CAUSA PRÓPRIA: Em reunião realizada nesta sexta-feira, dia 1º de dezembro, os associados ficaram sabendo pelo presidente Mário Borges, que a reforma do novo prédio do Setrans, localizado no cruzamento da Trv. José Agostinho com a Avenida Marechal Rondon e que é de sua propriedade, foi feita com o dinheiro do Sindicato, ou seja, Mário fez a reforma de seu imóvel, no valor de R$ 60 mil, com recursos do Sindicato. Isso sem falar que o Setrans também paga o aluguel desse imóvel e de mais outros dois, também de propriedade de Mário Borges.
Também o denunciante informa que o novo presidente do Setrans vendeu um consórcio do Sindicato que custa atualmente R$ 150 mil, pelo valor de R$ 80 mil. O denunciante também informa que Mário Borges vendeu um terreno do Sindicato, localizado na Trav. Dom Amando, avaliado em R$ 600 mil, pelo valor de R$ 350 mil.
Tais atitudes do novo presidente do Setrans estão deixando os associados revoltados, que estão pleiteando uma assembléia, para que se tornem nulas todas essas vendas, bem como os R$ 60 mil gastos na reforma da nova sede do Setrans sejam ressarcidos aos cofres do Sindicato.
O caso é sério é sério e muita coisa podre ainda vai aparecer por todos esses dias.
Fonte: RG 15/O Impacto


Nenhum comentário