Com média de 10 homicídios por dia, Jatene comemora investimento na segurança pública do Pará

publicidade

De acordo com o Governador, entre 2012 e 2017 foram investidos R$ 14 bilhões na segurança pública. 2017 registro 3.777 homicídios no estado.
Os deputados estaduais retornaram ao trabalho nesta terça-feira (6) após o recesso de final de ano. Na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), o governador Simão Jatene foi quem abriu a casa com um pronunciamento sobre um balanço geral da sua gestão, com ênfase no investimento feito na segurança pública.

De acordo com Jatene, o investimento na segurança pública aumentou em 20% de 2012 a 2017, média de 3,33% ao ano, totalizando R$ 14 bilhões. Apesar dos investimentos assegurados pelo Governo, o Pará registou 3.777 homicídios em 2017, mais de 10 por dia. De acordo com Jatene, Altamira foi o município mais violento do Brasil, com registro de 100 mortes para cada 100 mil habitantes.

Segundo o Secretario de Estado de Segurança Pública (Segup), Jeanot Jansen, o estado está investindo em tecnologia e armamentos novos, além de prometer abrir concurso público para 1000 servidores, sendo que 500 para agentes prisionais.

"Haverá um concurso para cerca de 1000 servidores, entre eles, 500 agentes prisionais, profissionais voltados para a manutenção dos internos. Outra grande mudança que estamos fazendo: investimento na tecnologia. Primeiro, estamos adquirindo agora uma grande quantidade de armamento. Muda o crime e nós também temos que mudar. Nós temos armamento bom, moderno e compatível. Porém nós verificamos a necessidade de ampliar o número desse armamento para a Plícia Militar no Pará e para a Polícia Civil", disse Jeanot Jansen.

Com este quadro apresentado, os políticos que trabalham na oposição à atual gestão do Governo consideram a situação da segurança pública no Pará complexa e que é preciso ser realizado um trabalho de forma integrada para que se chegue a uma solução para combater a insegurança.

"Se não forem retomadas as política sociais de inclusão social e produtiva no estado, o cenário será cada vez mais grave", afirmou o deputado estadual Carlos Bordalo (PT).

Blogdocarpê com informações G1 Pará 


Nenhum comentário