DESAPARECIDOS: Garimpeiros estão sendo procurados por familiares após meses sem comunicação

publicidade

Duas famílias procuram por garimpeiros que vieram de seus estados para a região de Moraes Almeida em Itaituba
Veja dois casos de famílias que procuram por parentes que saíram de seus estados para região garimpeira de Itaituba e não dão notícias há meses. Ambas as famílias estão bastante preocupadas devido ao alto índice de violência nesta região, temendo que algo de ruim possa ter acontecido à eles.

O primeiro caso de desaparecimento é o do jovem Adrivaldo Marguis da Silva de 24 anos de idade, natural do município de Lagoa do Mato estado do Maranhão. De acordo com familiares, ele veio trabalhar na região garimpeira de Moraes Almeida, em Itaituba, no ano 2017 e há cerca de dois meses não dar nenhuma notícias aos familiares, o que nunca havia acontecido.

O segundo caso envolve um homem de 63 anos de idade, Alfredo Jesus de Souza, que veio para o garimpo Água Branca, está desaparecido também há dois meses, a última vez em que a família teve contato ele estava no distrito de Moraes Almeida, quando fez uma ligação para um familiar “ele pediu pra depositar um dinheiro pra ele vim embora e não foi possível fazer esse depósito depois disso perdemos o contato dele” disse sua filha Vanessa. A filha informou ainda que Bigode, como é conhecido, sofre com desmaios repentinos, consequência de um acidente no ano 2006.

O caso onde três garimpeiros morreram soterrados, há dois meses, em um garimpo da região de Moraes Almeida, deixou uma das famílias aflita devido as coincidências, já que o acidente aconteceu no mesmo período em que deixaram de ter contato com ele. O portal Giro, em contato com familiares do antigo proprietário do garimpo, que também morreu no soterramento, apurou que todas as vítimas do acidente foram identificadas, porém, uma das famílias afirma que surgiram muitas informações indicando que uma das vítimas do acidente pode ser Adrivaldo Marguis e que ele teria sido enterrado como indigente.

Qualquer informação referente à um dos casos destacados nesta matéria pode ser repassada ao portal Giro no celular (93) 99156-8842.

Fonte Portal Giro


Nenhum comentário