OS que administrará HMS e UPA em Santarém diz que transição será ‘suave’

publicidade

Representantes do Instituto Panamericano de Gestão (IPG) estiveram em Santarém para assinatura do contrato nesta sexta-feira (23). Nova gestão inicia dia 1º de março.
André Franco é diretor técnico do Instituto Panamericano de Gestão (IPG) e está em Santarém para tratar questões judiciais e contratuais sobre a administração da UPA e HMS (Foto: Adonias Silva/G1)

Instituto Panamericano de Gestão (IPG), organização social que vai administrar o Hospital Municipal e a UPA-24h, está finalizando as etapas antes de começar os trabalhos em Santarém, no oeste do Pará. Na manhã desta sexta-feira (23), uma comissão da OS esteve reunida com a prefeitura para discutir pontos jurídicos e técnicos. A assinatura do contrato ocorre ainda nesta sexta, e a partir de 1º de março, a OS assume a gestão do HMS e da UPA 24H.
Em contato telefônico com a TV Tapajós, o prefeito Nélio Aguiar informou no início da tarde desta sexta-feira, que nos primeiros 15 dias a gestão será compartilhada entre OS e o município, que é o período de transição.

Os representantes da OS já visitaram as unidades hospitalares e informaram que a transição de administração ocorrerá de forma suave para que o atendimento não seja prejudicado. “Para fazer uma mudança de gestão não paramos o funcionamento do hospital, ele é um organismo vivo, então nós temos que fazer uma transição suave que vá regrando paulatinamente melhorias no atendimento”, explicou o diretor técnico do IPG, o médico André Franco.

Segundo André, o sistema público de saúde no Brasil passa por dificuldades, inclusive financeira, gestão e de resolutividade, e com Santarém não é diferente. “O que planejamos é tentar dar uma gestão mais ágil e rápida e que isso reverta em benefício da população tanto da cidade quanto dos 20 municípios que têm programação compactuada com Santarém”, disse.

Além da assinatura do contrato, o cronograma de execução de tarefas também foi iniciado para saber quais as medidas mais urgentes a serem adotadas. Ao iniciar os trabalhos em Santarém, a OS informou que algumas coisas poderão ser resolvidas de imediato, mas há outras que demandam mais tempo.

Gestão de uma OS

André Franco explica que uma organização social é apenas uma ferramenta de gestão que visa melhorar o atendimento das pessoas que fazem uso do serviço público de saúde. “O hospital continua sendo SUS e vai continuar sendo exclusivamente público. Nada vai mudar nem no hospital ou na UPA”.

Os pacientes de outros municípios não deixarão de ser atendidos, mas o sistema de regulação fará o encaminhamento às unidades. O IPG vai definir quais são os perfis do paciente e do hospital, sem restrições.

O quadro atual de funcionários do HMS e UPA, segundo André Franco, não será alterada, pois a ideia inicial do instituto é trabalhar com estes profissionais e qualificá-los ainda mais.

Blogdocarpê com informações G1 Santarém 


Nenhum comentário