Justiça decreta prisão de policial militar que confessou ter atirado em carro com seis ocupantes

publicidade

juízes criminais Gabriel Veloso, Alexandre Rizzi e Rômulo Brito, decretaram nesta sexta-feira (29) a prisão do sargento Gildson dos Santos Soares, do Grupamento Tático Operacional (GTO), que confessou ter atirado em um carro, ação que resultou na morte de Sônia da Silva Viana, 40 anos, além de ferir à bala dois adolescentes e um jovem que se encontravam no veículo na quinta-feira (28). O crime aconteceu na Rua Angelim, Santarenzinho, em Santarém, oeste do Pará.

O pedido de prisão preventiva foi feito pelo delegado Dmitri Teles e obteve parecer favorável do Ministério Público, através da promotora Dully Sanae Otakara. O mandado de prisão foi cumprido pela Corregedoria da Polícia Militar.

Gildson Soares participou de audiência de custódia na 3ª Vara Criminal de Santarém na tarde desta sexta-feira. O juiz negou o pedido de revogação da prisão apresentado pela defesa do militar que será transferido para a penitenciária Anastácio das Neves, em Americano, em Santa Isabel, no Pará.

Além do mandado de prisão preventiva, a justiça também expediu mandado de busca e apreensão que foi cumprido nesta sexta, na residência de Gildson. Os materiais apreendidos vão ajudar a polícia na investigação não só desse, mas de outros casos pelos quais o policial é investigado.

Fonte G1 Santarém


Nenhum comentário