Saiba o que ex-secretário de Helder Barbalho revelou à Polícia Federal

publicidade

As denúncias de irregularidades no Ministério da Integração Nacional (MIN), delatadas espontaneamente pelo ex-secretário executivo do ministério, Mário Ribeiro, estão sendo investigadas pela Polícia Federal e a Controladoria Geral da União (CGU).

Apesar da delação ser sigilosa, já se sabe que a PF está investigando venda de atas e licitações dirigidas a grupos ligados ao MDB, entre outras denúncias de corrupção.

A Polícia Federal já fez busca e apreensão na sede do ministério, onde levou documentos e CDs da administração de Helder Barbalho para investigação das denúncias.

O paraense Mário Ramos Ribeiro foi nomeado por Helder Barbalho para a Secretaria Executiva do ministério, segundo cargo mais importante da pasta. Helder deixou o ministério em abril para concorrer ao governo do Pará, mas Mário Ribeiro permaneceu no cargo.

No lugar de Barbalho, assumiu o piauiense Antônio Pádua. Mário Ribeiro pediu ao novo ministro a exoneração de Reynaldo Abhen-Athar, que já vinha sendo investigado pela CGU.

Porém, o ministro Antônio Pádua impediu a demissão, o que teria motivado o pedido de exoneração de Mário Ribeiro da Secretaria Executiva, pois a Diretoria de Gestão Interna do Ministério da Integração, a quem Reynaldo Abhen-Athar é vinculado, também já está sendo investigada pelo Tribunal de Contas da União por irregularidades nas prestações de contas.

Há suspeitas de que essas irregularidades sejam referentes a obras realizadas pelo ministério em Recife, Brasília, Rio de Janeiro e no porto da Codesp, em São Paulo.

O Ministério da Integração Nacional administra o FNO e o Fundo de Desenvolvimento da Amazônia (FDA), que juntos, o governo federal prometeu destinar cerca de R$ 6 bilhões em investimentos na Amazônia.

O Portal Roma News procurou Mário Ribeiro para eele esclarecer sua demissão, mas ele não respondeu às mensagens.

Fonte Portal Roma News


Nenhum comentário