Justiça investiga suposto esquema de venda de sentenças de juízes paraenses

Um áudio, que circula nas redes sociais esta semana, indica que juízes do Pará venderam sentenças judiciais para o ex-prefeito de Santa Luzia do Pará, Adamor Ayres. Nesta terça-feira, 16, a Procuradoria-Geral de Justiça do Pará instaurou um procedimento investigatório criminal (Pic) para apurar o caso.

O áudio foi supostamente gravado em 2014. Nele, é possível ouvir duas pessoas conversando sobre um pagamento de proprina para o prefeito afastado voltar ao cargo. Uma delas seria o juiz Moisés Flexa, que conversa com Adamor dentro de um carro.

O assunto seria uma possível união entre o magistrado e o juiz Marco Antonio Castelo Branco, então lotado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PA), para reintegrar ex-prefeito ao cargo. Na conversa, o suposto juiz diz que a sentença de retorno custará R$ 60 mil e que ele (Flexa) já teria tirado do próprio bolso para pagar adiantado ao juiz Marco Antonio.

Em 2012, Adamor Ayres foi afastado por suposta prática de crime de compra de votos nas eleições de 2012.

Nesta quarta-feira, 14, durante a sessão plenária do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, o procurador-geral Gilberto Martins comunicou aos desembargadores a instauração do procedimento investigatório para apurar se os juízes cometeram o crime de corrupção e para estabelecer, inicialmente, a autenticidade e a legitimidade dos arquivos de áudio divulgados em redes sociais
Fonte Roma News

Nenhum comentário