Um ano após morte de turista, família ainda tenta acordo com Beach Park

O acidente que matou o radialista Ricardo José Hilário da Silva em um brinquedo do parque aquático Beach Park, no Ceará, completa um ano nesta terça-feira, 16, sem respostas. A família da vítima ainda tenta um acordo judicial com a empresa que administra o parque.

O turista de Sorocaba estava na boia do brinquedo “Vainkará” com mais três pessoas, no dia 16 de julho de 2018, quando caiu e bateu a cabeça. A atração havia sido inaugurada dois dias antes. Apesar de ser socorrido de imediato, Hilário morreu ainda no parque. O brinquedo permanece fechado até hoje.

A família de Hilário entrou com ação civil pedindo indenização por danos patrimoniais, ou seja, referente ao que a viúva e a filha da vítima deixaram de receber com sua morte. O valor pedido não foi informado. O advogado do caso, João Vicente Leitão, revela que ainda entrará com ação por danos morais. "Pelo que elas sofreram e sofrerão pelo resto da vida", afirma.

Em nota, o Beach Park confirma existir uma proposta sob avaliação e reitera ter prestado "toda assistência às vítimas e familiares", garantindo aos frequentadores, colaboradores e parceiros, continuar aperfeiçoando seus procedimentos de segurança e promovendo o debate com o setor para que a experiência no Beach Park seja cada vez mais segura e agradável

Fonte Roma News 

Nenhum comentário