Cerca de 10 mil postos de trabalho na construção civil estão sob risco no Pará

publicidade

Com o atraso no repasse da verba que financia as construções do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), no Pará, cerca de 10 mil postos de trabalho estão comprometidos. Isso porque, há dois meses, o programa não recebe os recursos financeiros necessários para os avanços da primeira fase das construções, o que afeta diretamente 19, dos 42 empreendimentos que estão em obras.

De acordo com o Sindicato da Indústria da Construção do Pará (Sinduscon-PA), não é a primeira vez que o programa sofre impacto com a falta de repasse dos recursos financeiros. Em 2015, diversas obras foram afetadas e, até hoje, muitas não foram entregues.

Essa falta de repasse dos recursos financeiros afeta diretamente 8 mil trabalhadores. Atualmente, as 23 obras em atividade estão com cerca de 10 mil postos de trabalho sob risco. Estão previstas a entrega de 23.595 unidades habitacionais contratadas pelo PMCMV, por meio do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR).

Segundo o Sinduscon-PA, o Governo Federal é o principal responsável pela falta do repasse das verbas. O sindicato busca providências emergenciais para regularizar os pagamentos referentes a junho e julho de 2019 e garantir, também, os recursos financeiros suficientes para a conclusão das obras em execução.

Confira abaixo a lista dos empreendimentos prejudicados pela falta de verba:


EMPREENDIMENTOS INVADIDOS

Ananindeua

Residencial Pouso do Aracanga

Nº Unidades 1.344

Ananindeua

Residencial Anita Gerosa

Nº Unidades 220

Ananindeua

Residencial Ebenézer

Nº Unidades 480

Ananindeua

Residencial Angelim

Nº Unidades 222

Abaetetuba

Residencial Nova Vida

Nº Unidades 490

Breves

Parque Encantado II

Nº Unidades 540

Cametá

Conjunto Morada Caa-mutá

Nº Unidades 949

Cametá

Residencial Viver Mosqueiro

Nº Unidades 1.000

Mosqueiro

 EMPREENDIMENTOS PARALISADOS

Empreendimento

Nº Unidades Habitacionais

Santarém

Residencial Moaçara I e II

Nº Unidades 768

Belém

Residencial Viver Outeiro

Nº Unidades 1.008

Belém

Residencial Viver Pratinha

Nº Unidades 768

Belém

Residencial Viver Val de Cans

Nº Unidades 1.152

Breves

Residencial Parauau

Nº Unidades 500

Altamira

Residencial Ilha do Arapujá

Nº Unidades 1.444

Fonte Roma News 


Nenhum comentário