Campanha de Helder Barbalho a governo é eleita a segunda melhor do Brasil

Foto: Reprodução

A campanha de Helder Barbalho ao governo do Pará em 2018 foi eleita a segunda melhor na categoria “Melhor Campanha para Presidente ou Governador” do Prêmio CAMP da Democracia. A premiação, que tem a finalidade de reconhecer os profissionais que atuam em campanhas eleitorais, comunicação e consultoria política, associativa, partidária e governamental, é promovida pelo Clube Associativo dos Profissionais de Marketing Político (CAMP) e foi realizada na noite da última quinta-feira (29), durante a Expo Fórum Digitalks 2019, no Transamerica Expo Center, em São Paulo. O primeiro lugar ficou para a campanha do governador de São Paulo, João Doria.

O resultado da campanha, tanto nas urnas quanto na premiação, é motivo de comemoração para o coordenador da campanha, Ricardo Amado. “Para mim foi uma alegria enorme, uma honra gigante ver nosso trabalho sendo premiado. Tivemos o apoio de uma equipe jovem, formada em sua maioria mulheres, o que trazia um olhar e uma sensibilidade incríveis. Além disso, priorizamos por uma equipe formada por paraenses, pessoas que já conheciam a realidade local”, destacou.

Ricardo Amado atua como profissional de marketing político há 28 anos no Brasil, na América Latina, América Central, África e Portugal. Destaque para a eleição de Danilo Medina, presidente da Republica Dominicana em 2012, a reeleição de Pedro Passos, primeiro-ministro de Portugal, em 2015, e a vitória de Hélder Barbalho, governador do Pará, em 2018.

CONCEITO

Para ele, a campanha, que tinha o conceito “Helder; governador presente, cuidando da gente”, trouxe à tona a percepção da maioria da população paraense, que tinha o sentimento de ausência do governo anterior em áreas fundamentais como saúde, educação e segurança. “O sentimento de abandono era muito grande. A partir disso, surgiu o conceito ‘Helder presente”, afirmou.

De acordo com o Amado, a campanha foi baseada em três pilares: mítico (que trabalhou a imagem de Helder), métrico (mostrando o que o candidato já tinha feito pelo estado ao longo de sua carreira política e, principalmente, como ministro do Pará) e mântrico (trabalhando a repetição de “mantras”, como “Helder presente”, “Daqui pra frente”, entre outros).

Quando questionado sobre os diferenciais da campanha, Ricardo declara que “a verdade do Helder e seu profundo conhecimento do Estado, o plano de governo bem elaborado, consistente e sólido, além do uso de uma linguagem moderna, cheia de simbologias paraenses, foram os principais diferenciais para o destaque na premiação. Foi uma campanha absurdamente profunda, fazendo uma análise da atualidade”, declarou.

JORNALISMO REGIONAL

Além disso, Amaro ressalta o papel da equipe de jornalismo durante a campanha: “Uma coisa que foi importante foi a presença do jornalismo na campanha. Uma campanha em que a forma e conteúdo caminharam juntos. A estrutura de jornalismo montada na campanha era muito atenta, com conteúdos aprofundados e isso agregava às ações e à pessoa política do Helder um valor inestimável. Fizemos uma campanha previsível, propositiva, sem ataques, com presença real das pessoas, humanizada e, de certa forma, a gente deixava claro que ele seria um governador por todo e para todo o Pará. Ninguém estava mais preparado para ser governador do que ele. A campanha deixou isso claro com um discurso palatável, acessível e assimilável”.

“Estou muito contente com esse reconhecimento. Adorei fazer essa campanha. Dois meses antes de começar as eleições eu vim para o Pará com a minha esposa, que também trabalhou na campanha, e minha filha. Foi um projeto especial demais. Que energia eu pude sentir. Reforço o quanto a orientação política estratégica e muito segura do coordenador geral da campanha, Jader Filho, foi fundamental para esse resultado e, claro, Helder estava muito preparado. Ele se preparou para ser governador. Não tinha como dar errado. O grande prêmio foi a eleição e ser reconhecido por profissionais da área, gente renomada, também foi muito importante”, finalizou.

Por Paloma Lobato, DOL

Nenhum comentário