Header Ads

Confirmada morte de Gugu Liberato aos 60 anos

Augusto Liberato, o Gugu, teve morte cerebral após sofrer uma queda em sua casa em Orlando nos Estados Unidos. O Portal Roma News checou a veracidade da informação junto a fontes próximas ao apresentador durante toda a tarde desta quinta-feira, 21, e confirmou a morte cerebral do apresentador divulgando às 18h37, contudo, por respeito à família de Gugu Liberato, às 19h28, a direção do Portal Roma News decidiu tirar a matéria do ar e reativá-la após o comunicado oficial da família do apresentador, divulgada na noite desta sexta-feira, 22, pela TV Record.

Segundo a assessora do apresentador em entrevista ao apresentador Datena, Gugu estava em sua casa nos Estados Unidos mexendo no ar-condicionado e caiu de uma altura de quatro metros. Ele foi hospitalizado na quarta-feira, 20, após o ocorrido e ficou em observação. Contudo, a morte cerebral foi confirmada nesta quinta-feira.

De acordo com a nota da família, todos os órgãos de Augusto Liberato serão doados. A confirmação foi feita após um neurocirurgião de confiança da família no Brasil avaliar o caso do apresentador.

A mãe de Gugu, Maria do Céu, 90, viajou para os Estados Unidos na tarde de quinta-feira para encontrar com a esposa do apresentador, Rose Miriam, e os filhos, que já estavam na cidade de Orlando/EUA.

Na última semana, surgiu a notícia de que Gugu havia morrido mas ele gravou um vídeo desmentindo.

Trajetória

Antes de entrar para a televisão, Gugu chegou a iniciar um curso de Odontologia na Universidade de Marília (Unimar), na cidade de Marília, em São Paulo, porém desistiu do curso, atendendo ao chamado de Silvio Santos, que o convidou a assumir um posto em frente às câmeras.

Um de seus primeiros programas, em 1981, foi a Sessão Premiada Paulista, que em sua versão carioca tinha como apresentador Paulo Barboza.

Um ano depois, Silvio Santos pediu que Nelly Raymond, uma importante diretora argentina, criasse um programa para as noites de sábado. Era o Viva a Noite, que no início era dividido em várias partes e apresentado também por nomes como Ademar Dutra, Mariette Detotto e Jair de Ogum.

Gugu permaneceu por algum tempo dirigindo o Domingo no Parque e como editor do boletim Semana do Presidente, que era veiculado nos intervalos entre os quadros do Programa Silvio Santos.

O Viva a Noite, em 1984, lançou grupos musicais brasileiros do mesmo formato, como Dominó e Polegar. Com o sucesso, Gugu se tornou empresário. Sua produtora, a GGP, é responsável pela gravação de comerciais, programas e séries.

Em agosto de 1987, no auge do sucesso do Viva a Noite, Gugu assinou um contrato com a Rede Globo, por onde teve uma breve passagem. Houve uma situação na qual Silvio Santos não pôde apresentar seu programa e pediu a Gugu que o substituísse. Gugu então pediu uma liberação da TV Globo e passou a dividir o auditório com Silvio Santos. E no sábado de Carnaval de 1988, Silvio Santos foi pessoalmente à sala de Roberto Marinho, no jornal O Globo, pedir a liberação do apresentador para permanecer na emissora paulista.

Gugu estreou nos domingos do SBT em 17 de abril de 1988, apresentando sozinho os quadros Passa ou Repassa e Cidade contra Cidade. Gugu também dividiu com Silvio Santos a apresentação do Roletrando. Em 30 de outubro de 1988, estreou o quadro TV Animal.

O maior sucesso veio com o Domingo Legal, que rivalizava com o Domingão do Faustão, o programa que tinha sido criado para ser de Gugu na Globo. A concorrência, em fins dos anos 1990, foi durante muito tempo favorável a Gugu, que encerrou a década com picos acima de 40 pontos de audiência.

Conhecido também como Escândalo Gugu-PCC, ocorreu em 7 de setembro de 2003, dia da Independência do Brasil, o Domingo Legal foi palco de um grande escândalo do jornalismo nacional ao exibir uma entrevista com dois supostos integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), dentro de um ônibus, pelo repórter Wagner Maffezoli.

E em junho de 2009 deixou o SBT e assinou um contrato de oito anos com a Rede Record. Na emissora, estreou com o Programa do Gugu, também aos domingos. Em maio de 2010, após sofrer com baixos índices de audiência, mudou de horário dentro da programação da emissora. Em 2013, o portal UOL noticiou que Gugu Liberato deixaria a Record. O motivo da saída do apresentador seria corte de verbas no seu programa feito antes do final do seu contrato. A Rede Record só viria a confirmar a saída do comunicado da emissora no final da tarde do dia posterior. No texto, o canal diz que a emissora e o apresentador consideram que o período de convivência profissional foi proveitoso para ambas as partes e atingiu seus objetivos, e ofereceu todas as condições para que Gugu e sua equipe desempenhassem o seu trabalho.

Gugu apresentou seu último Programa do Gugu na Record em 9 de junho de 2013. Ao final da atração, agradeceu ao público, a sua equipe de produção, aos colegas da Record e a própria emissora, que, disse ele, "que sempre me proporcionou uma excelente estrutura e a oportunidade de estar junto de vocês todos esses domingos".

Em 1º de julho de 2014, a Rede Record anunciou um acordo com a GGP Produções, produtora de Gugu, acabando com um ciclo de suspense feito pela mídia em torno de sua carreira. Após dois anos afastado da TV, no dia 25 de fevereiro de 2015 aconteceu a estreia do programa da 1ª temporada de Gugu na Record.

No programa de estreia, o apresentador exibiu uma entrevista exclusiva com Suzane Von Ritchthofen que, pela primeira vez, revelou detalhes do crime que chocou o Brasil. Em 22 de setembro de 2015, foi ao ar o último programa da 1ª temporada de Gugu na Record. O apresentador renovou o contrato com a emissora para mais um programa a partir de 2016 e renovou até 2017, ano que o contrato do programa com a emissora encerrou definitivamente.

Augusto Liberato permaneceu na Record apresentando o reality Power Couple Brasil e "Canta Comigo", que já foi todo gravado com previsão de término para o dia 4 de dezembro.

Fonte Roma News

Nenhum comentário