Header Ads

Madalena Hoffmann, ex-prefeita de Novo Progresso, é condenada a devolver mais de R$ 2 milhões

Desde as últimas eleições Madalena mantém articulação com cúpula do MDB
A ex-prefeita de Novo Progresso, Madalena Hoffmann (PSDB), teve as contas reprovadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e terá que devolver exatos R$ 2.285.137,49 aos cofres públicos. Ela também foi multada em 5.000 UPF’s-PA (cinco mil Unidades de Padrão Fiscal do Estado do Pará) por ter desviado recurso público para construção de uma ponte em vicinal que não existe, e a ponte, claro, não foi construída.

As irregularidades caracterizaram, entre outros, crime de improbidade administrativa praticada pela prefeita. Entre as irregularidades apontadas pelo TCM estão o descumprimento de envio de dados e a remessa fora do prazo da prestação de contas, balanço geral e da lei de diretrizes orçamentárias dos quadrimestres julgados, entre outras.

A ex-gestora foi questionada pelas irregularidades apontadas, mas não apresentou justificativas à relatora do processo no TCM. A ex-prefeita, que ainda pode recorrer da decisão, tem 30 dias para devolver o valor aos cofres públicos.

Os valores a serem devolvidos devem ser depositados na conta da Prefeitura de Novo Progresso dentro do prazo, sob pena de pagamento de juros, bem os valores das multas aplicadas a ela, que embora seja filiada ao PSDB, nas últimas eleições apoiou abertamente a então campanha do atual governador Helder Barbalho, com quem vem mantendo articulações políticas.

Roma News 

Nenhum comentário