Header Ads

Por 6 votos a 5, STF decide contra prisão em segunda instância

O Supremo Tribunal Federal (STF) retomou nesta tarde de quinta-feira, 7, o julgamento para decidir se após a condenação em segunda instância, o réu deve ser preso ou se deve aguardar o processo ser julgado na última instância judiciária, como prevê a Constituição Federal.

Nas duas sessões anteriores, já votaram os ministros Alexandre de Moraes, Edson Facchin e Luiz Fux, favoráveis à prisão em segunda instância.

Já os ministros Marco Aurélio Melo, Rosa Weber e Ricardo Lewandowski, votaram contrários à prisão em segunda instância.

A ministra Carmém Lúcia leu o seu relatório sobre a medida e em seguida apresentou seu voto favorável à prisão em segunda instância.

O ministro Gilmar Mendes votou contra a prisão em segunda instância e o placar agora está em cinco votos a favore quatro contra.

O próximo voto foi do ministro Celso de Mello, que empatou o placar. Sendo assim, o presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli deu o voto de minerva, que desempatou a votação, finalizando com o placar de 6 a 5.
Fonte Roma News

Nenhum comentário