Header Ads




Saiba como votou cada deputado na reforma da previdência estadual

O governador Helder Barbalho conseguiu aprovar com ampla maioria a parte do chamado “Pacote de Maldades” que mais gerou protestos e quebra-quebra na Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa). Por 32 votos a 6, foi aprovada nesta quarta-feira, 18, em primeiro turno, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) número 16/2019, que altera o sistema de previdência do estado do Pará. Somente os deputados Dra. Heloisa (DEM), Marinor Brito (PSOL), Eliel Faustino (DEM), Orlando Lobato (PMN) e Thiago Araújo (Cidadania) disseram "não" à PEC.

Assim como o presidente da Alepa, Dr. Daniel Santos (MDB), também não votaram os deputados Dr. Galileu (PSC) e Miro Sanova (PDT). Os demais – 32 deputados – votaram a favor da PEC e de praticamente todos os projetos do governo Helder Barbalho enviados de última hora para a Alepa. Os projetos do Executivo para apreciação e votação no Legislativo foram enviados na última semana de novembro.

No primeiro dia de votação, na terça-feira, 17, os projetos também foram aprovados em primeiro turno da forma como o Executivo queria, com forte articulação do líder do governo na Alepa, deputado Chicão (MDB), que arregimentou o time "Helder" para votar com o governo sob muitos protestos de servidores da educação em frente à Alepa. Para conter os protestos, o Batalhão de Choque da Polícia Militar entrou em confronto com os manifestantes, utilizando gás de efeito moral, sprays de pimenta e tiros de bala de borracha.

Durante o confronto as portas da Alepa foram fechadas mas os trabalhos continuaram, até que em determinado momento, o Plenário da Alepa foi invadido e ficou tomado de gás de efeito moral jogado no local pela tropa de choque da PM, que também adentrou o plenário para garantir que a sessão continuasse, já que o deputado Dr. Daniel Santos (MDB), que é presidente e é do partido do governador, se recursou a interromper os trabalhos, mesmo sem a transmissão de internet em toda a sessão, que garantiria o princípio da transparência nos trabalhos.

Na votação de hoje, as galerias foram fechadas para o público e a tropa de choque da PM com cerca de 200 agentes manteve o prédio cercado durante todo o dia.

Conheça o voto dos deputados e seus partidos na PEC 016/2019

Nenhum comentário