Header Ads




Dentista filiado ao MDB de Altamira assume a gerência regional do Centro de Perícias Criminais

Peritos do Renato Chaves denunciam ingerência política na gestão do órgão
A Associação de Peritos Oficiais do Estado do Pará organizou um abaixo-assinado virtual contra o que denominam de desmonte da perícia oficial estadual. Até ontem à noite cerca de 500 assinaturas já tinham sido computadas.

A motivação da petição on line foi a exoneração da gerente do Centro de Perícias Científicas (CPC) em Altamira, no sudoeste paraense, Lidiane Batista Ferreira Shimon. Em seu lugar, foi nomeado um dentista, que nunca atuou na perícia, segundo denunciam os peritos oficiais do Estado do Pará.

Délio Gomes Moreira, assumiu dia 24, mesma data da exoneração da ex-gerente, que é funcionária de carreira do órgão. Os peritos afirmam que é a primeira vez que ocorre essa decisão da administração estadual, colocar em um cargo de gestão da perícia criminal uma pessoa que nada tem a ver com a função e acusam a administração estadual de ingerência política no CPC Renato Chaves.
Neste link se constata que Délio Moreira é filiado ao MDB, partido do governador Helder Barbalho e do prefeito de Altamira, Domingo Juvenil: http://filiacaopartidária.com/PA/altamira/filiados/MDB/2

Abaixo, cópia da nomeação de Délio Gomes Moreira, no Diário Oficial do Estado (DOE), datado do dia 24.
"A perícia Oficial de todos os estados da federação precisa ter conhecimento do que está acontecendo hoje, um claro processo de degradação e destruição da Perícia Oficial do Estado do Pará. Não podemos aceitar que pessoas que não conhecem a peculiaridade da perícia, sejam gerentes ou assumam cargos comissionados de gestão", afirma o comunicado da petição on line.

Pessoas interessadas em assinar a petição podem cessar o endereço: http://chng.it/MNYFXBBS

Peritos planejam paralisar a atividade em protesto contra a interferência política no órgão

O perito criminal Ériko Nery, que atua no CPC em Belém, afirma que o gerente nomeado para a unidade regional de Altamira não possui formação específica em criminalística, não conhece a estrutura nem a dinâmica da perícia e do CPC Renato Chaves.

"Sua nomeação é de cunho político em detrimento da capacidade técnica, em nossa visão, constitui grande retrocesso, um risco para o sistema de segurança pública e justiça", denuncia Nery.

Ele ressalta, que é evidente a falta de conhecimento técnico, como também da interferência no ambiente de trabalho e na rotina da perícia. "Muitas das informações trocadas no ambiente interno do CPC são tratadas como informações de inteligência, e devem ser reservadas aos integrantes do quadro", alerta o perito, que já presidiu a associação.

Ériko Nery explica, que se deve considerar que a perícia oficial é o órgão que transita no sistema de segurança pública e de justiça, e os protocolos de troca de informações são restritos às instituições interessadas.

"A presença de um nomeado político como gestor de uma unidade regional importante e estratégica como a de Altamira, que já foi alvo de inúmeros casos de repercussão nacional e internacional, demonstra que o governo não trata a perícia como atividade de Estado, não reconhecendo sua importância para o sistema", acentua.

Os peritos estão se mobilizando para fazer uma paralisação geral da categoria, caso a interferência político no CPC permaneçam.

Fonte Roma News

Nenhum comentário