Header Ads




Investigador baleado na cabeça em Santarém sai do hospital sem sequelas

Familiares disseram que o policial está andando e falando normalmente, e farão culto de agradecimento
O investigador de polícia civil Euler de Souza Rego, baleado na cabeça durante um atentado, recebeu alta e está se recuperando bem. A tentativa de matar o policial ocorreu no último dia 25 de janeiro, em Santarém, na região oeste do Pará. Ele ficou 15 dias internado e, ao receber alta, seus familiares disseram que ele está sem nenhuma sequela.

Em agradecimento pela vida do policial, sua família vai realizar um culto no próximo domingo, 16. Segundo a família de Euler de Souza Rego, nenhuma sequela de voz ou movimento foi identificada até o momento. “Ele está falando e andando normalmente”, disse um familiar.

Esse familiar relatou ainda que o policial civil lembra bem dos detalhes do atentado que sofreu e a sua recuperação é avaliada como positiva pelos familiares que o acompanham.

Após ser atingido por disparo de arma de fogo, Euler chegou a fazer um vídeo tranquilizando amigos, colegas e familiares. Porém ao chegar no hospital o caso do investigador se agravou. Ele foi submetido a uma cirurgia e ficou em coma induzido para que a equipe médica avaliasse o seu quadro de saúde.

Orações - Um dia após o crime, policiais civis colegas de Euler lotaram o pátio da 16ª Seccional Urbana de Polícia Civil para fazer uma grande corrente de orações pela recuperação do policial.

Delegados, escrivães, investigadores e demais agentes da segurança pública lotaram o espaço. O encontro aconteceu após a chegada da equipe que estava em busca dos suspeitos de realizarem o atentado.

Operações - Euler de Souza Rego foi baleado na cabeça por criminosos que invadiram a residência da família no bairro Uruará, em Santarém, no dia 25 de janeiro, por volta de 14h. De imediato a polícia convocou todos os policiais possíveis para iniciar as diligencias e localizar os criminosos que tinham a intenção de mata-lo.

Ainda no dia 25, o homem que deu fuga para o grupo foi preso em Rurópolis e no dia seguinte, 26, quatro pessoas que tinham ligação com o crime receberam a polícia à tiros no município de Placas e acabaram mortas.

Fonte: G1/Santarém

Nenhum comentário