Header Ads




No primeiro dia, Detran recebe 80 solicitações de placas do Mercosul

No primeiro dia de integração do sistema do Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran) foram solicitados 80 processos de Placa de Identificação Veicular (PIV – padrão Mercosul). O modelo foi criado para facilitar a fiscalização de veículos do Brasil, Argentina, Paraguai e Venezuela, além de solucionar a insuficiência de combinações de letras e números do padrão cinza, cuja disponibilidade duraria somente até 2025.

A migração do sistema do Detran para o do Departamento Nacional de Trânsito ocorreu pontualmente às 8 h desta segunda-feira (3). Desde o último dia 30 de janeiro, profissionais de tecnologia da informação (TI) do órgão gerenciador do trânsito no Pará analisaram o menor impacto possível para o cidadão. “Como qualquer mudança de sistema, principalmente de TI, naturalmente sempre há uma instabilidade inicial, mas já está tudo normalizado. Entretanto, é possível que haja um estranhamento da população em termos de processo, porque ainda é uma fase de transição”, esclareceu o diretor-geral do Detran, Marcelo Guedes.

São elegíveis ao novo modelo os veículos em situação de primeiro emplacamento (novos); alteração de categoria (táxi para carro particular, por exemplo); mudança de jurisdição (troca de unidade federativa) e extravio de placa. Nessa fase de transição, até a substituição total do modelo – que ainda não tem prazo para conclusão -, o Detran está operando com as duas estruturas de identificação de placa: o modelo cinza e o do Mercosul.

Segunda mudança – Desde que entrou em vigor o Código de Trânsito Brasileiro, em 1997, essa é a segunda mudança no modelo de placa. A primeira vez ocorreu com a substituição do modelo amarelo para o cinza, e se deveu também à necessidade de combinações alfanuméricas disponíveis. Desta vez, a segurança também é uma preocupação. “É a ideia de ampliar o arco de controle para os outros países, tendo em vista que muitos dos crimes ocorrem via fronteiras terrestres. Essa integração entre os países do Mercosul será por meio de sistema com compartilhamento de informações”, explicou o diretor do Detran.

Outra vantagem na mudança é a descentralização de serviços, com o credenciamento de 12 estampadoras. A empresa de Jorge Auad já estava preparada desde 2018, com as adaptações no estabelecimento e aquisição de impressoras, matrizes e gabaritos do novo modelo. “Não tivemos tanta dificuldade por estar com o equipamento comprado e feito os testes de impressão”, disse Jorge Auad. “Nós colocamos a placa aqui, e o cliente não precisa voltar ao Detran para a fixação do lacre. O QR Code (Quick Response Code) é um instrumento seguro de rastreabilidade, para consulta em um banco só. É uma segurança que nós não tínhamos para saber se o veículo estava regular. Hoje, quando o cliente vier, todo o processo de segurança já foi iniciado, e nós completamos tudo via sistema”, informou o empresário.

Fonte Roma News 

Nenhum comentário