Header Ads




Procurador que fez declaração racista retorna ao cargo de ouvidor-geral do Estado

Ricardo Albuquerque afirmou que “o problema da escravidão no Brasil foi porque o índio não gosta de trabalhar”.
O procurador de Justiça do Ministério Público do Pará (MPPA), Ricardo Albuquerque, ressumiu o cargo de ouvidor-geral do órgão, nesta quinta-feira, 6, durante a sessão do Colégio de Procuradores de Justiça. 

O promotor foi afastado do cargo em novembro de 2019, após o vazamento de áudio onde afirmava que “o problema da escravidão no Brasil foi porque o índio não gosta de trabalhar”.

A polêmica envolvendo Ricardo Albuquerque teve início no dia 26 de novembro, depois que vazou o áudio de uma palestra ministrada por ele para alunos e professores de uma faculdade de Direito. "Eu não acho que tenhamos dívida nenhuma com quilombolas. Nenhum de nós aqui tem navio negreiro... Nenhum de nós trouxe pessoas da África para ser escravizada no Brasil...", proferiu na ocasião.

Por meio de nota, Ricardo Albuquerque disse que o áudio é “tendencioso”, foi retirado de seu contexto e a pessoa que divulgou o material agiu “de forma sub-reptícia”. “O assunto era o Ministério Público como instituição e não tinha como escopo a análise de etnias ou nenhum outro movimento dessa natureza”.

O MP repudiou as afirmações de Albuquerque e disse que elas “refletem tão somente a opinião pessoal do referido membro da instituição”.

Fonte Roma News

Nenhum comentário