Header Ads




Alepa aprova criação de Secretaria Estadual de Cidadania

Oposição criticou a criação de novo órgão em período de crise econômica causado pela pandemia de covid-19
A Assembleia Legislativa aprovou na sessão realizada na manhã da quarta-feira, 7, o projeto de lei do governo estadual, que cria a Secretaria Estratégica de Estado de Articulação da Cidadania (Seac), que tem a função de promover projetos de inclusão social, redução da violência e melhoria da qualidade de vida da população.

A matéria foi aprovada em meio à polêmica, já que o projeto não tramitava no parlamento em regime de urgência, como outros que a administração enviou para ajudar na força-tarefa de combate à pandemia de coronavírus.

A líder do Psol na Alepa, deputada Marinor Brito, reclamou da tribuna da Casa, que "o povo paraense precisa ser atendido em suas necessidades básicas. Criar cargos e secretaria neste momento de pandemia vai na contramão", criticou a deputada.

Segundo Marinor Brito, a bancada do Psol encaminhou voto contrário à criação da secretaria por entender que esse não é momento adequado para se criar novo órgão na estrutura da administração esadual. "Se tivesse sido feita discussão mais aprofundada no colégio de líderes, teríamos mais tempo para evitar que esse projeto viesse para pauta neste momento", alegou a deputada.

A parlamentar defende, que é preciso atentar que neste período de pandemia, que há muitas pessoas nas periferias que não têm o que comer, assim como em muitas regiões remotas, em que o dinheiro não chega e não vai chegar e que não vão conseguir ter acesso nem a uma cesta básica. Portanto, para a parlamentar da ala da oposição, criar uma nova estrutura significa prestar um "desserviço", à sociedade paraense. E sugere que os recursos deveriam ser aplicados na ampliação do quadro de profissionais para atuar na pandemia do novo coronavírus.

Base aliada assegura que não nova secretaria gera despesas

No entanto, o deputado Gustavo Sefer (PSD), afirma que é importante deixar claro, que os projetos votados na sessão ordinária da Alepa nesta quarta-feira, a maioria foi em regime urgência e relacionados à crise sanitária e econômica, causada pelo novo coronavírus.

Outros projetos estavam tramitando normalmente, como é o caso da criação da nova secretaria da Cidania, que deu entrada na Casa há alguns meses, entrou pelo trâmite normal. "Aproveitamos que o projeto estava pronto com pareceres das comissões e como tivemos sessão hoje, votamos e aprovamos", explicou Sefer.

Segundo o parlamentar, essa nova secretaria na realidade já existe como um núcleo de governo, que já atua. "Não criamos nenhum cargo, os servidores já existem. Não vai gerar mais custo para o Estado, pois não prevê criação de nenhuma função nova", assegura o deputado da base aliada do governo Helder Barbalho (MDB).

O parlamentar afirma que a oposição não deve ter chegado a ler o projeto. "Quem teve o cuidado de ler viu que não haverá aumento de despesa", ressalta Gustavo Sefer.

Fonte Roma News 

Nenhum comentário