Header Ads




Coronavírus: Saiba como agir em casos de crianças infectadas!

O médico infectologista Lourival Marsola esclarece algumas questões que podem preocupar pais e mães
O novo coronavírus já infectou pelo menos três crianças no Pará, até a última terça-feira, 14. Embora haja a constatação de que o curso da doença, denominada Covid-19, dificilmente evolui para complicações severas nos pequeninos, eles ainda podem ser transmissores e disseminadores do vírus.

De acordo com o Ministério da Saúde, também nesses casos, é recomendado o isolamento e cuidado com a proximidade delas com pessoas idosas ou que apresentem comorbidade e fazem parte do grupo de risco.

Entretanto, muitos ainda têm dúvidas de como proceder caso haja uma criança infectada em casa. Por isso, o Portal Roma News procurou o médico infectologista Lourival Marsola, para esclarecer algumas questões que podem preocupar pais e mães, com necessidade de isolar os filhos.

Confira!

R.N - O protocolo de isolamento quando a criança apresenta coronavírus é igual ao de adultos? Ela é isolada dos pais e do resto da família?

Dr. LM - As crianças quando apresentam um quadro clínico que seja sugestivo de infecção pelo novo coronavírus, e aí entenda-se como quadro gripal acompanhado ou não de falta de ar, elas devem sim ser afastadas do convívio com outras pessoas e deve ser colocada minimamente 14 dias neste afastamento.

O ideal é essa criança seguir as recomendações de isolamento semelhante a que faz com os adultos só que, normalmente, há uma maior dificuldade em fazer cumprir pelas crianças o isolamento social, no caso dos sintomáticos a quarentena, justamente pela dificuldade que elas têm a uma melhor adesão ao uso de máscaras por exemplo, a higienização das mãos, aos cuidados com secreções de espirros e tosses, mas sim devem seguir as mesmas orientações dos adultos.

Com as crianças têm um cuidado especial em relação ao contato delas com idosos e com pessoas que tenham alguma doença que possa se agravar com um avanço da covid-19.

R.N - E no caso de bebês? Quais as possibilidades de transmissão de mãe para filho? A mãe continua amamentando?

Dr. - Geralmente quando se fala em crianças de idades pequenas, menores de um ano, se tornam muito mais difíceis as questões de seguir a quarentena quando elas são sintomáticas respiratórias, principalmente os bebês em relação ao uso da máscara.

As mães que são portadoras da covid-19, casos confirmados, elas são aconselhadas a manter sim a amamentação. Não contraindicamos a amamentação, até porque o próprio leite materno tornará essa criança mais forte para enfrentar uma possível infecção, seja por covid ou qualquer outra.

Ainda temos bem poucos dados sobre a transmissão do vírus de mãe para o filho, durante o período de gestação. Essa é a chamada transmissão vertical, mas os dados são muito poucos, e o que temos são relatos da possibilidade de acelerar o parto, o que seria o parto prematuro, mas ainda são poucas as informações sobre essa forma de transmissão.

Fonte Roma News

Nenhum comentário