Header Ads




Pará é o último colocado em ranking de transparência ao combate da covid-19

O ranking feito pela Open Knowledge Brasil (OKBR) levou em consideração o detalhamento das informações. Além disso, o conteúdo delas e o formato em que elas são passadas também foram avaliados na hora de ranquear cada estado do Brasil.
O levantamento chegou aos seguintes resultados:

- 90% dos avaliados ainda não publicam dados suficientes para acompanhar a disseminação da pandemia de Covid-19 pelo país, incluindo o governo federal;
- Quase 40% dos estados ainda têm nível “opaco” de divulgação (0 a 19 pontos);
- Apenas um estado divulga em seu portal a quantidade de testes disponível;
- Nenhum estado divulga quantos leitos (sobretudo, UTIs) estão ocupados, em relação ao total disponível;
- Três estados e o governo federal ainda não publicam informação por município;
- Mais de 80% dos entes avaliados não divulgam dados em formato aberto (apenas em boletins ou em meio ao texto corrido).

A OKBR é uma organização que trata sobre a transparência de dados no Brasil. Os dados liberados pela Ong foram classificados em cinco níveis. O primeiro é o nível alto, com 80 pontos até 100, o segundo é o nível bom, de 60 a 79, o terceiro é o médio, 40 até 59 pontos, o quarto é o baixo, 20 a 39, e o último é o opaco, 0 até 19 pontos.

O único estado com nível alto é o Pernambuco com 81 pontos. O segundo e terceiro são Ceará e Rio de Janeiro com 69 e 64 pontos, respectivamente.

Pará e Rondônia estão em último lugar. O nível opaco dado a esses dois estados se dá, porque ambos não revelaram em seus dados de forma nítida segundo a OKBR.

Os dados para este ranking são separados em três dimensões:

- Conteúdo: são considerados Idade, sexo, e hospitalização dos pacientes confirmados com o vírus. Assim como infraestrutura de saúde e leito disponíveis;
- Granulidade: avalia a revelação da identidade dos pacientes, assim como os detalhes de localização: município, bairro ou cidade;
-Formato: Considera pontos positivos e publicações de painéis analíticos e planilhas.

A diretora executiva da Ong, Fernanda Campagnucci, afirma que esses dados são uma tentativa de melhorar a forma como governos e estados estão lidando com a situação. “Esta avaliação busca apoiar os estados e o governo federal na melhoria da transparência”, explica Fernanda. “Como o Ministério da Saúde publica dados muito agregados e os estados não observam os mesmos parâmetros de publicação, há muita variação entre os estados. Isso pode prejudicar a comparação e dificultar o planejamento a infraestrutura de saúde necessária para lidar com a crise”, conclui.

O ranking detalhado com todos os outros estados pode ser visto neste link: https://br.okfn.org/2020/04/03/coronavirus-transparencia-em-90-dos-estados-brasileiros-e-insuficiente/

Fonte Roma News 

Nenhum comentário