Header Ads




Sem licitação, Governo do Pará paga quase 400% a mais por toucas descartáveis para hospitais

Basta uma pesquisa rápida em qualquer portal de busca para constatar mais um superfaturamento em compras feitas pelo Governo no Pará sob o pretexto de combate à pandemia do coronavírus. Depois do escândalo das cestas básicas para estudantes da rede pública, dessa vez chama atenção o valor pago pelo estado por gorros descartáveis para uso nos hospitais. Até quase quatrocentas vezes mais caras do que o valor médio do mercado.

Consta no Portal da Transparência que a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) contratou a empresa Levon Materiais de Construção e Pré-Moldados Ltda., uma microempresa com sede no bairro da Cidade Velha, em Belém, para fornecer 600 caixas de “gorro descartável com elástico”, contendo 50 unidades em cada uma delas. Até aí tudo bem. Não fosse o valor da compra: R$ 97.500,00, ou seja, cada caixa sai por R$ 162,50 e cada gorro por R$ 3,25. 
Não achou caro? Então basta comparar o valo pago pelo governador Helder Barbalho (MDB) aos valores de mercado. A reportagem do Portal Roma News fez essa pesquisa e encontrou o mesmo tipo de gorro – com base na especificação do Portal da Transparência – por até R$ 0,89. Foram consultados três grandes portais de fornecimento dos chamados EPI (Equipamentos de Proteção Individual), o Dental Cremer, o Cirúrgica Zona Sul e o Medjet.com.

O preço médio dos gorros, como os comprados pela Sespa, varia de R$ 0,89 a R$ 1,68, dependendo da gramatura. Já as toucas descartáveis com elástico, comumente usadas por profissionais de saúde, são ainda mais baratas, podendo ser encontradas por até R$ 0,36 a unidade. Procuramos a Sespa, responsável pela compra, para explicar a diferença de valores, mas ainda não obtivemos resposta.

Compare os preço de produtos com a mesma especificação ou similares aos comprados pelo Governo do Estado:




Blogdocarpê com informações Roma News 

Nenhum comentário