Header Ads




Ponta de Pedras enfrenta a crise de covid-19 sem prefeito, vice e presidente da Câmara

Os moradores do município de Ponta de Pedras, na Ilha do Marajó estão com os poderes Executivo e Legislativo ausentes enquanto enfrentam o avanço do coronavírus na região. O município tem 25 casos de covid-19 confirmados e três mortos. 

O prefeito Pedro Paulo Boulhosa Tavares (PMDB), 63 anos, entrou em quarentena e está em isolamento social fora da cidade há 52 dias. A situação é a mesma em relação ao vice-prefeito, Cícero Carvalho de Brito (PHS), de 82 anos.

A legislação define em caso de impedimento do prefeito e do vice-prefeito, quem deve assumir é o presidente da Câmara Municipal. No entanto, quem preside a casa é Maria Alice Martins Tavares, mulher do prefeito, e ela também está fora do município.

Maria Alice Tavares confirmou que está em Belém com o prefeito Pedro Tavares. A presidente da Câmara alegou que ela e o marido têm problemas de saúde, estão em idade de risco e que a casa da família em Ponta de Pedras fica em um ponto da cidade que dificulta o isolamento social.

"Nós moramos em frente ao centro lotérico onde forma-se uma fila enorme de pessoas desamparadas para receber a ajuda federal e o Bolsa Família. O povo bate na nossa porta a toda hora, pede comida, um copo d’água, querem usar o banheiro e a gente não pode dizer não para o povo", explicou a vereadora.

O abandono do município fez o Ministério Público do Estado do Pará publicar uma recomendação ao prefeito, ao vice-prefeito e aos vereadores para que eles cumpram a legislação no que diz respeito ao afastamento do cargo. A promotora acrescenta que há notícia de que o prefeito e seu vice não teriam sequer condições de executar seus atos de gestão remotamente e criticou a ausência de transparência relacionada a este fato, que tem provocado instabilidade política no município.

A presidente da Câmara Municipal disse que seu marido vai acatar a recomendação. Ela informou que está tentando marcar uma sessão virtual com os outros dez vereadores da cidade para deliberar a autorização de afastamento do prefeito. No entanto, dois vereadores estão infectados com covid-19 e outros não sabem usar aplicativos de videoconferência.

Caso o afastamento seja autorizado, quem assume é o vice, Cícero Carvalho de Brito. Ele está com a saúde fragilizada, pois faz tratamento oncológico e utiliza uma bolsa de colostomia. Questionada se assumiria o cargo na hipótese de desistência do vice, Maria Alice Tavares disse que precisa pensar a respeito. Ao assumir a Prefeitura, ela fica impedida de concorrer ao cargo de vereadora nas eleições municipais de outubro.

Fonte: Globo.com

Nenhum comentário