Header Ads




Quase mil mortes e mais de 13 mil casos de covid-19 deixaram de ser notificados no Pará

Crédito: Marcelo Seabra/Agência Pará

Na última semana, a Secretaria de Saúde Pública do Pará (Sespa) anunciou uma mudança na divulgação dos boletins sobre a pandemia de coronavírus no estado, com a separação entre casos e óbitos registrados nas últimas 24 horas e os dados que, segundo a Sespa, teriam ocorrido em datas anteriores e são originários de subnotificações dos municípios.

O novo modelo indicou que o estado deixou de registrar quase mil mortes e mais de 13 mil casos confirmados de covid-19. De acordo com o secretário de Saúde, Alberto Beltrame, houve um erro no sistema da Sespa que é atualizado pelos dados repassado pelas prefeituras. Entre abril e o início de maio ocorreram 903 mortes e 13.871 casos da doença que não foram contabilizados e são resultados dos 122 mil testes rápidos repassados aos municípios.

A nova conta muda também a data do primeiro caso de covid-19 no estado, que ocorreu no dia 7 de março e não do dia 18, como foi anteriormente divulgado. A paciente, segundo a Sespa, era uma mulher, de 50 anos, de Parauapebas, no sudeste do estado. Anteriomente acreditava-se que esse primeiro paciente era um homem, de Belém.

No último boletim divulgado pela Sespa no início da tarde de hoje, o estado já registrou 33.699 casos e 2.715 mortes pela Covid-19. Nas últimas 24 horas, foram contabilizados 59 novos casos e 10 óbitos. Já em relação as subnotificações, foram confirmados no primeiro boletim desta quinta-feira, 28, mais 1.969 casos e 100 mortes. A Sespa não esclareceu se continuam ocorrendo subnotificações dos dados atuais. Em outros estados, como Minas Ferais, por exemplo, o governo chegou a afirmar que apenas um, em cada 10 casos, é confirmado.

Por Roma News 

Nenhum comentário