Header Ads




Respiradores comprados na China pelo Governo do Pará não funcionam

O Governo do Pará admitiu nesta sexta-feira, 8, que vem sofrendo problemas técnicos na instalação dos respiradores comprados na China, que chegaram na última segunda-feira ao Estado e ainda não puderam ser usados para salvar vidas de pacientes internados com covid-19.

Desde a última quarta-feira, 6, o Portal Roma News vinha tentando ouvir a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e a Secretaria de Comunicação do Governo do Estado sobre os problemas com os respiradores, mas sem sucesso. Fotos, vídeos e áudios relatando o problema circulavam em grupos de mensagens em uma rede social.

Somente hoje, após a Polícia Federal prender, em Belém, um dos suspeitos de envolvimento em fraudes na compra de respiradores pelo estado do Rio de Janeiro, o Governo do Pará resolveu admitir o problema com os respiradores.

Glauco Octaviano Guerra disse à reportagem da TV Globo, no Rio, que estava na capital paraense acompanhando a entrega de respiradores comercializados com o governo do Pará. Assim como aqui, os respiradores comprados pela administração de Wilson Witzel (PSL) também apresentaram problemas e alguns equipamentos seguem sem funcionar.

“São as mesmas dificuldades que estão sendo enfrentadas por outros compradores, como grandes corporações privadas. Conjuntamente, estamos em contato direto com os fabricantes, que prometem saná-los em caráter de urgência. Os fabricantes assumiram o compromisso com os compradores brasileiros de resolver os problemas e fazer as adequações dos equipamentos aos parâmetros nacionais”, diz a nota divulgada pelo governo.

Ao todo, o Governo do Estado anunciou a compra de 400 respiradores, custando R$ 126 mil cada um. Na primeira remessa, entregue na segunda-feira, o Pará recebeu 152 respiradores. Além do hospital de campanha, no Hangar, em Belém, parte dos aparelhos foi enviada para Santarém, Marabá e Breves, na Ilha do Marajó.

Por Roma News 

Nenhum comentário