Header Ads




Comércio fecha mais de 4 mil postos de trabalho no Pará em dois meses, diz Dieese

Setor foi o mais afetado pela pandemia de covid-19 nos meses de março e abril
Crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil

Uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira, 19, pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos do Pará (Dieese/PA) revelou que o comércio foi o setor econômico mais afetado pela pandemia de covid-19 no estado.

Segundo o Dieese, em apenas dois meses – março e abril – o setor fechou 4,3 postos de trabalho no Pará. O saldo negativo, na comparação entre contratações e demissões, é o terceiro registrado pelo comércio paraense esse ano e já tinha sido verificada no balanço dos primeiros quatro meses de 2020, de janeiro a abril.

De acordo com a pesquisa, em abril o setor do comércio efetuou 2.487 contratações e demitiu 5.727 funcionários, gerando um saldo negativo de 3.140 postos de trabalho. No mês anterior, a flutuação dos postos de trabalho formais no comércio já havia apresentado saldo negativo de 1.60 vagas.

No comparativo entre os estados da Região Norte, o Pará aparece em primeiro lugar com a maior perda de postos de trabalho no comércio no mês de abril. Seguido por Amazonas, com 2.164 vagas a menos, Rondônia, com saldo negativo de 1.886 postos, Tocantins, com a perda de 1.103 vagas. Acre (499), Roraima (492) e Amapá (309) também tiveram saldo negativos, mas com números menos expressivos.

O estudo foi elaborado e analisado com base em informações oficiais do Ministério da Economia, segundo o novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), e é parte integrante do projeto Observatório do Trabalho do Estado do Pará desenvolvido em parceria com a Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster).

Nenhum comentário