Header Ads


DPU apura denúncias de fraudes nas cotas da UFPA

Crédito: Divulgação UFPA

A Defensoria Pública da União em Belém (DPU/Belém) protocolou um ofício solicitando informações sobre as medidas adotadas pela Universidade Federal do Pará (UFPA) para apurar e punir denúncias de supostas irregularidades no sistema de cotas raciais da instituição.

No documento, o Defensor Regional de Direitos Humanos do Pará, Wagner Vaz, estabeleceu prazo de 20 dias para a administração da Universidade dar um retorno sobre as denúncias. O órgão também pediu a apuração das autodeclarações apresentadas pelos candidatos selecionados para as vagas destinadas a negros.

Além disso, a DPU quer saber quais medidas serão adotadas pela UFPA após a confirmação de fraude na autodeclaração dos candidatos, bem como a lista de processos abertos nos últimos dois anos sobre as supostas irregularidades.

A apuração da DPU se iniciou a partir das informações divulgadas pelo perfil "Fraude nas cotas PA #antiracista", no Twitter, que compartilha denúncias sobre candidatos que supostamente teriam ingressado na Universidade indevidamente em vagas exclusivas para cotistas negros ou indígenas. A conta @fraudecotapa já publicou casos ocorridos na Universidade Federal do Pará (UFPA) e na Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA).

Segundo o Defensor, "as cotas raciais nas universidades federais são um importante instrumento para a redução das desigualdades raciais da sociedade brasileira, promoção da diversidade no meio acadêmico e combate ao racismo. Por isso, qualquer tipo de fraude nesse sistema deve ser combatido por todos os meios cabíveis, para que as vagas reservadas pela Lei cheguem efetivamente aos grupos mais vulneráveis".

Fonte: Ascom DPU Belém

Nenhum comentário