Header Ads




Operação 'Amazônia Viva' recupera mais de 21 mil hectares desmatados de forma ilegal

Operação acontece em dez municípios do estado - Crédito: ASCOM/SEMAS

A operação “Amazônia Viva” deflagrada no início deste mês ocorre, simultaneamente, em quatro pontos do estado e chega a dez municípios paraenses. Segundo a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), a força-tarefa chega aos municípios que possuem as maiores taxas de desmatamento no estado..

“O nosso objetivo é coibir a retirada ilegal da floresta em 10 municípios com taxas elevadas de desmatamento. São eles: Uruará, Medicilândia, Brasil Novo, Placas, Itaituba, Trairão, Novo Progresso, Castelo dos Sonhos, São Félix do Xingu e Altamira", afirma Rayrton Carneiro, diretor de fiscalização da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).

Durante a última semana, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) identificou o proprietário do Cadastro Ambiental Rural (CAR) que é responsável por uma área desmatada equivalente a 3.500 campos de futebol, em São Félix do Xingu. A comprovação do crime foi confirmado pela equipe local na última quarta-feira, 17.

“Agora abriremos um processo punitivo administrativo para que o responsável seja notificado e dentro do prazo legal de 15 dias apresente a defesa. Enquanto isso, toda a área onde foi confirmado o desmatamento ilegal ficará embargada”, explicou o titular da Semas, Mauro O’de Almeida.

A operação já identificou e embargou 21.844 hectares desmatados ilegalmente. Além do embargo, as equipes também fecharam um garimpo clandestino localizado em Itaituba, no oeste do Pará. No garimpo, as equipes apreenderam uma retroescavadeira, dois tratores, um caminhão, quatro armas de fogo e 11 munições. De acordo com a equipe local, a quantidade de madeira apreendida é capaz de lotar três caminhões.

Roma News

Nenhum comentário