Header Ads




Esposas de vereadores e filha de Taka, prefeito de Rurópolis, recebem auxílio emergencial do Governo Federal

Mulheres foram beneficiadas até com o valor máximo do auxílio, R$ 1.200,00, enquanto muita gente que precisa não o recebeu
Se o benefício criado pelo Governo Federal não alcançou muitos cidadãos que de fato precisam dele, sobretudo, neste momento delicado de crise sanitária, o mesmo não ocorreu para mulheres de políticos que estão no poder, no município de Rurópolis. 

A começar pela esposa do presidente da Câmara de Vereadores Anderson Guimarães Pinto, que tem em suas mãos mensalmente R$ 224.080,00, repassados pela Prefeitura para o Poder Legislativo Municipal. Mas nem por isso, sua esposa Lídia Lima Guimarães deixou de receber o benefício da União.

A lista se estende para Saria da Conceição Belo, mulher do vereador Elias Zanetti; Gercilene de Souza Silva, esposa do vereador Jonas Lourenço; Eliorvane Ramos de Sousa, mulher do vereador Robson Alves e até a filha de Taka, o atual prefeito da cidade, Joceline dos Santos Padilha. 
Lídia lima Guimarães Mulher do presidente da câmara Anderson Guimarães Pinto,

Gercilene, Eliorvane e Saria receberam o valor de R$ 600,00, enquanto que a filha do chefe do Executivo Municipal de Rurópolis e Lídia foram agraciadas com o valor máximo do benefício, R$ 1.200,00. 
Gercilene de Souza Silva 
Muhler do vereador Jonas Lourenço
Eliorvane Ramos de Sousa Mulher do vereador Robsom Alves
Saria da Conceição belo 
Mulher do vereador Elias Zanetti 

As informações estão disponíveis ao público, na Internet, no portal do próprio Auxílio Emergencial.

Embora seja possível pessoas com poder aquisitivo ou em condição estável, como é o caso dessas mulheres, serem beneficiadas, a situação se mostra, no mínimo, imoral, dada a circunstância de tantos cidadãos e cidadãs que precisam realmente dessa ajuda, neste período em que todo o mundo atravessa, devido à pandemia do novo coronavírus.

Um comentário:

  1. Isso é uma pouca vergonha na cara,Eu fico indignado com uma situação dessa.

    ResponderExcluir