Header Ads




Reunião trata sobre habitações no entorno das serras de Santarém

“Outros diálogos serão realizados com demais instituições para debater a questão”
Encontro foi na sala de reuniões da Semma. Foto: Júlio César Antunes.

Ocorreu na manhã desta quinta-feira (23), uma reunião que tratou sobre os limites do uso e ocupação por habitações nas áreas ao entorno das serras de Santarém. Participaram representantes da Prefeitura de Santarém/Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma); Associação Comercial de Santarém (Aces); e, 1ª Companhia Independente de Policiamento Ambiental (1ª CIPamb)/Polícia Militar do Estado do Pará (PMPA). A conversa foi na sala de reuniões do órgão ambiental municipal.

O presidente da Aces e engenheiro civil, Roberto Branco, destacou a potencialidade socioambiental das serras conservadas como parte da estrutura urbanística da cidade. Para ele, as distâncias a partir dos pés dos morros, devem ser rigorosamente estabelecidas em lei, evitando o avanço do imobiliário e conservando os locais.

“Vamos tomar como exemplo Florianópolis (SC), que evitou o surgimento de morros bem como o Rio de Janeiro (RJ). Então, Florianópolis fez uma cota limite para a ocupação no entorno”, ressaltou o engenheiro.

Durante o encontro levantou-se a possibilidade de instalação das dependências da 1ª CIPamb na Apa Serra do Saubal, onde funcionavam as antigas instalações da Embratel.

“A proposta deve valorizar a APA, respeitando ainda mais o local, trazendo sensação de maior segurança aos moradores e podendo servir como espaço turístico e lazer de referência”, pontuou a Comte Izabel Cristina Cardoso.

Segundo a secretária de Meio Ambiente, Vânia Portela, tendo em vista o avanço das áreas antropizadas sobre as serras do Município, esse momento foi promovido para se criar inicialmente um processo de diálogo.

“Avaliaremos a possibilidade de construir um projeto de lei, a ser encaminhado à Câmara de Vereadores de Santarém, para se ter demarcações específicas e, inclusive, instalando pontos físicos alertando à população a respeito dos limites no entorno das serras. Claro, teremos por base o que já determina a legislação ambiental nas três esferas do poder público”, informou Vânia Portela.

Novas reuniões devem ser promovidas pela Semma com datas, locais e horários ainda a serem definidos, assim como demais instituições ligadas à questão serão convidadas.

Blogdocarpê com informações Agência Santarém 

Nenhum comentário