Header Ads




Turismo no Xingu sofre com os impactos da pandemia

Sem turistas e com os estabelecimentos fechados famílias sobrevivem com dificuldade
Crédito: Wilson Soares

O mês de julho sempre foi muito esperado por aqueles que obtêm no turismo sua forma de auto sustento. É o período do alto verão amazônico, que este ano está sendo diferente por conta da pandemia. A situação impactou em todas as regiões turísticas do estado.

Uma delas é a Volta Grande do Xingu, município de Senador José Porfírio, no sudoeste do Pará. As famílias dessa localidade tiravam sua renda dessa atividade econômica, mas por conta da falta de turistas, o desemprego aumentou e as dificuldades também.

Dona Maria Albertini trabalha há 14 anos em uma pousada, que fica bem no coração da Volta Grande. Ela conta que nessa época, entre abril e novembro, o emprego era certo em razão dos turistas que procuravam o local para praticar a pesca esportiva. A pandemia afetou a rotina e as condições financeiras mudaram drasticamente. “Está difícil pra todos os funcionários. Principalmente para os ribeirinhos. A gente não tem mais o salário que a gente ganhava e faltou emprego para todos”, lamentou dona Maria.

Moradora há 46 anos da região do Xingu, dona Raimunda Teles prestava serviços para a prefeitura de Anapu, transportando alunos para as escolas da região em sua voadeira. Outros dois filhos de Raimunda trabalhavam como guias turísticos. Ela conta que, com as aulas suspensas e a recomendação das autoridades de saúde para que as pessoas não saiam de casa, nos últimos três meses, a família passou a sobreviver apenas do que produz na agricultura familiar.

Empresários locais também reclamam da situação. O proprietário de um hotel, que fica às margens da rodovia Transamazônica, viu sua renda diminuir da noite para o dia. O local não recebe hospedes há três meses e não houveram solicitações para os eventos que eram comumente realizados no local, como casamentos e aniversários.

A Secretaria de Turismo de Vitória do Xingu estima que o setor foi impactado em cerca de 95%. O município se preparava para apresentar e vender todas as belezas naturais da região na Feira Internacional de Turismo – FITA 2020, que aconteceria no mês de abril em Belém, porém, foi adiado para 2021.

Fonte: A Voz do Xingu

Nenhum comentário