Header Ads




Energia do paraense vai ficar mais cara a partir desta sexta-feira, 7

Dieese denuncia reajuste acima da inflação
A energia consumida pelo paraense vai ficar mais cara a partir desta sexta-feira, 7. O reajuste de 2,68% foi autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nesta quinta-feira, 6, e deve atingir cerca de 2,7 milhões de residências do Pará.

Quem consome menos será mais afetado com os reajuste. Por outro lado, indústria e grandes empresas terão reajuste menor. Segundo o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos do Pará (Dieese-PA), a alta supera a inflação estimada de 2,5% para os últimos 12 meses.

Como já aconteceu em anos anteriores, a revisão tarifária para este ano de 2020 também foi segmentada. O reajuste médio será distribuído da seguinte forma:
- para os consumidores residenciais, o reajuste médio será de 2,97%;
- consumidores cativos (baixa tensão), o reajuste médio será de 3,29%;
- os grandes consumidores (alta tensão/ Industriais de médio e grande porte) 0,44%.

O Estado do Pará é o maior produtor de energia do país, mas sua população sempre é penalizada com reajuste de energia bem acima da média nacional. O Pará contribui com o Sistema Integrado Nacional de Energia com a produção da hidrelétrica de Tucuruí, no sudeste paraense; Belo Monte, também no sudoeste; e, ainda, a pequena Curuá-Una, que produz energia no oeste do Pará.

Fonte Roma News 

Nenhum comentário