Header Ads




Municípios defendem permanência de médicos estrangeiros no Pará

Crédito: Agência Pará 

Logo que iniciaram os casos de covid-19 no Pará, as prefeituras solicitaram a contratação dos médicos cubanos para atuação nas unidades básicas e de pronto atendimento

Os prefeitos do Pará expressaram, por meio da Federação das Associações de Municípios do Estado do Pará (Famep), a profunda indignação com a decisão da justiça de suspender o contrato de médicos estrangeiros no Estado.

Em nota, o prefeito de Piçarra, Wagne Machado, que preside a federação, ressalta que esses profissionais atuaram juntamente com os médicos brasileiros nos períodos mais críticos da pandemia no Pará e sem eles, o sistema de saúde estaria prejudicado. Logo que iniciaram os casos de covid-19 no Pará, a Famep solicitou ao Governo do Estado a contratação dos médicos cubanos para atuação nas unidades básicas e de pronto atendimento para todos os municípios paraenses.

“Os médicos cubanos atuaram em Belém e no interior do Estado no período de 2013 a 2018, durante a execução do Programa Mais Médicos, do governo federal e demonstraram grande compromisso com a população, uma vez que o Pará sofre, assim como as demais regiões brasileiras, com a baixa adesão de médicos à ação estratégica “Brasil Conta Comigo – Profissionais da Saúde”, informou a Famep.

A Federação diz que reforça a importância desses profissionais, sem desmerecer os médicos do Estado, mas lembrando que a ajuda dos médicos estrangeiros também foi algo imprescindível para que o Pará esteja hoje com as mortes ocasionadas pela covid-19 em queda.

“Nosso trabalho é lutar pelo desenvolvimento dos municípios paraenses e a questão da saúde, é um ponto chave para que toda a população do Estado possa ter qualidade de vida e a partir disso, desenvolvimento e melhorias, principalmente quando tratamos do interior”, afirmou o gestor. “A justiça precisa reverter tal decisão para que os paraenses não sejam prejudicados”, finalizou Machado.

Fonte: Portal Santarém

Nenhum comentário