Header Ads




Médico de Santarém é agredido por não prescrever cloroquina para paciente

O marido da paciente ainda postou nas redes sociais injúrias ao médico, classificando a atitude do profissional como “ideológica” e pedindo a saída dele do atendimento no posto
Crédito: Divulgação Prefeitura

Um médico de um posto de saúde de Alter do Chão, em Santarém, no oeste do Pará, foi agredido verbalmente pelo marido de uma paciente que exigia a prescrição de cloroquina para a esposa como tratamento para a covid 19.

“O médico recusou-se a prescrever o medicamento, explicando que não existe nenhuma evidência científica de que seja, de fato, eficaz no tratamento da doença”, relatou a representante do Sindicato dos Médicos do Pará (Sindmepa) em Santarém, Nastia Irina de Souza Santos.,

O marido da paciente ainda postou nas redes sociais injúrias ao médico, classificando a atitude do profissional como “ideológica” e pedindo a saída dele do atendimento no posto. Nesta quinta-feira, 13, o Sindmepa publicou nota de repúdio contra a agressão ao médico.

Na nota, o sindicato ressalta que o Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou parecer estabelecendo critérios e condições para a prescrição de cloroquina e hidroxicloroquina, com a ressalva de que “não há evidências científicas sólidas” de que essas drogas tenham eficácia na prevenção e tratamento dessa doença.

O Sindmepa afirmou já ter encaminhado o caso para a sua assessoria jurídica que irá tomar as providências legais que o caso requer. “Tal atitude não será tolerada. Além de retratação pública, já estão sendo tomadas providências administrativas e jurídicas junto às autoridades competentes”, afirma o diretor do Sindmepa, Waldir Cardoso.

Fonte: Sindmepa/ Roma News 

Nenhum comentário