Header Ads




Condutor de caminhonete que vitimou médica Paula Eloá tem preventiva negada pela Justiça

Médica Paula Eloá Barra sofreu acidente de trânsito em Santarém e em estado vegetativo no HRBA — Foto: Reprodução/Facebook/Paula Barra

O pedido de prisão preventiva do motorista Josiney Pereira, causador do acidente em maio de 2018 que vitimou a médica Paula Eloá Carneiro Barra, foi negado pela Justiça. A decisão foi proferida na terça-feira (1) pelo juiz de direito Gabriel Veloso, titular da 3ª Vara Criminal da Comarca de Santarém, no oeste do Pará.

Morre a médica Paula Eloá, que estava em estado vegetativo desde o acidente ocorrido em maio de 2018

Após o aditamento da denúncia, a defesa do motorista pediu, entre outras coisas, a desclassificação do crime doloso para crime de trânsito.

Na decisão, o juiz Gabriel Veloso não considerou que tanto a denúncia inicial quanto o aditamento apresentado sejam absurdos ou contenham erros, pois descrevem bem os fatos imputados pelo Ministério Público como criminosos e sua tipificação, não havendo nenhuma irregularidade nas peças processuais.
Josinei Pereira, o réu, foi um dos que foi ouvido pelo juiz da 3ª Vara Criminal em 2019 — Foto: Tracy Costa/G1

Prisão preventiva
O Ministério Público do Pará (MPPA) havia pedido à Justiça a prisão preventiva de Josiney Pereira. Entretanto, o juiz não acolheu justificando a decisão pela não existência de fatos atuais que se enquadrem no art. 312 do Código de Processo Penal, apesar da gravidade do caso.

"Nesse momento, ante a não existência dos requisitos legais indefiro o pedido de decretação da prisão preventiva do acusado (respeitando a dor da família, mas lembrando-a que haverá, em caso de condenação ao final da ação penal, o momento do recolhimento ao cárcere do acusado)", disse o magistrado na decisão.
Instrução processual

Para que o processo tenha prosseguimento, a Justiça marcou para 26 de janeiro de 2021, às 9h, a instrução processual, quando serão ouvidas as novas testemunhas arroladas pela defesa, assim como, a realização de um novo interrogatório do acusado.

Homicídio doloso

Em outubro de 2019, Josiney foi ouvido pela Justiça após reviravolta do caso, quando foi confirmada a morte da médica. Naquela ocasião, o juiz Gabriel Veloso disse que o condutor da caminhonete poderia responder por homicídio doloso. Anteriormente, o Ministério Público havia oferecido a denúncia por crime de tentativa de homicídio.
Carros envolvidos no acidente no cruzamento da avenida Rui Barbosa com travessa dos Mártires em Santarém — Foto: Reprodução/Redes Sociais

À época, Josiney disse que G1 que não teve a intenção de fazer mal a ninguém. “Eu jamais desejaria fazer o mal a alguma pessoa. Quando isso aconteceu eu fiquei muito ruim, está sendo uma fase muito difícil para mim, pois nunca imaginei me envolver em algo assim. Avancei a preferencial sem perceber, foi muito rápido", contou.

Ele confessou que no dia anterior ao acidente havia ingerido bebida alcoólica, mas no período da tarde, e que fez questão de ficar no local após o acidente para dar os devidos esclarecimentos.

O acidente

Josiney, que estava dirigindo uma caminhonete, avançou a preferencial e atingiu em cheio o carro de passeio onde estavam o idoso Luiz Carlos de Carvalho Barra e a filha dele, a médica Paula Eloá Carneiro Barra, em maio de 2018.

Luiz sofreu luxação na clavícula e fratura na pelve, após exames de raio-x e tomografia, ele recebeu alta. Paula Eloá sofreu traumatismo cranioencefálico, e precisou passar por uma cirurgia na cabeça que durou 2 horas. A cirurgia foi para drenar o hematoma intracelebral.
Luiz Carlos de Carvalho Barra e a filha dele, a médica Paula Heloa Carneiro Barra — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Pai e filha foram atingidos por uma caminhonete que invadiu a preferencial no cruzamento da avenida Rui Barbosa e a travessa dos Mártires, no Centro.

O laudo do exame de dosagem alcoólica feito pelo Centro de Perícias Científicas Renato Chaves no sangue coletado de Josinei Pereira indicou que o condutor estava alcoolizado no momento do acidente. O laudo saiu no dia 18 de junho de 2018, mas só chegou ao conhecimento da Polícia Civil no mês de agosto.

No dia do acidente, Josinei alegou que não viu a placa que indicava a preferência da outra via e que por estar na cidade para tratar de negócios, não conhecia direito a sinalização do centro comercial de Santarém.

A morte da médica

No dia 15 de outubro de 2019, a jovem médica faleceu no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), onde estava internada em estado vegetativo.

Fonte G1 Santarém 

Um comentário:

  1. Muito caro os juros dessa empresa, por isso fica difícil de negociar

    ResponderExcluir