Header Ads




Sedap incentiva manejo do pirarucu no Baixo Amazonas

Festival do pirarucu em Santa Maria do Tapará não ocorreu esse ano por conta da pandemia

Para uma maior valorização do pirarucu, que é o maior peixe de escama de água doce do mundo e corre risco de extinção, a Secretaria de Desenvolvimento Estadual Agropecuário e da Pesca (Sedap) está colaborando com a campanha realizada pela Sapopema, Sebrae e Colônia de Pescadores Z-20 e apoiada por Mopebam, Ufopa, Semap, CPP, EII e Tinker de manejo de pirarucu.

O manejo dessa espécie pretende assegurar à conservação dos ecossistemas, envolvendo uma organização comunitária, vigilância dos ambientes aquáticos, estabelecimento de regras de uso dos recursos, realização de levantamento dos estoques, pesca sustentável e comercialização.

O Coordenador Regional da SEDAP em Santarém, Alisson Castro, disse que o papel da Secretaria é de tentar promover com a estrutura que são as piscinas para fazer o mostruário com o pirarucu, além de promover feiras para realizar a valorização do peixe, também recordou do festival do pirarucu que é realizado anualmente na comunidade Santa Maria do Tapará e não ocorreu esse ano por conta da pandemia.

Castro ainda ressalta a importância da Secretaria no trabalho que é feito antes da pesca, que é a própria vigia dos lagos que se intensifica ao longo de 12 meses onde é feito o trabalho de contagem manualmente. “Ano passado, foi feito um curso de filetagem para começar a vender outro tipo de produto além da manta e curso de boas práticas de manipulação de alimento”.

O gerente regional do Sebrae, Michel Martins, reforçou “O projeto tem essa dimensão de que nós possamos divulgar e levar o conhecimento de que o peixe de manejo é diferente do peixe de cativeiro. O próximo avanço é nesse direcionamento. O pirarucu de manejo é diferenciado e os diferenciados tem um valor de agregado”, finalizou.

Fonte: Agência Pará

Nenhum comentário