Header Ads




Juiz Eleitoral solicita que MP investigue origem dos recursos da Doxa para realizar pesquisas

Em sentença proferida na tarde desta quarta-feira, dia 11, o Juiz Eleitoral Claytoney Passos confirmou a liminar que impugnou a divulgação de pesquisa eleitoral realizada pela empresa DOXA ARTE & COMUNICAO S/S LTDA. O magistrado considerou irregular a pesquisa eleitoral registrada sob o nº PA-05443/2020, que aponta a candidata Maria do PT à frente.
Na sua decisão, o magistrado determinou que o Ministério Público Eleitoral investigue a origem dos recursos que subsidiaram o trabalho realizado pela Doxa, uma vez que a empresa registrou no TRE-PA, que utilizou recursos próprios para o levantamento, que teria custado cerca de 10 mil reais.

“É consabido que a impugnada[Doxa] realiza, com recursos próprios, inúmeras pesquisas eleitorais nas demais zonas eleitorais do Estado do Pará, de modo que se faz necessária uma investigação no sentido se perscrutar a regularidade da origem dos recursos despendidos”, disse o representante da Justiça Eleitoral.

Recursos Próprios

De acordo com levantamento realizado pelo O Impacto, constam registradas no TSE, 4 pesquisas realizadas pela Doxa em Santarém. Três delas foram custeadas pela própria empresa, no valor de 10 mil reais cada, um dispêndio financeiro de 30 mil reais, para uma empresa cujo o capital social é de apenas 120 mil reais.

Outro item que chama atenção, é o fato de que o única pesquisa que teria sido contratada e paga por terceiros, trata-se de uma empresa que foi constituída no mês de setembro de 2020, com capital social de 40 mil reais. Essa empresa, segundo consta no sistema do TSE, pagou 10 mil reais para Doxa realizar a pesquisa em Santarém. A Smart Serviços, Consultoria e Assessoria SS Ltda. tem sede no bairro Umarizal, na capital Belém.

Fonte RG 15 / O Impacto

Nenhum comentário