Header Ads




Maria e Nélio buscam apoio de outros candidatos à prefeitura para vitória no segundo turno

Seis candidatos receberam mais de 34 mil votos. As articulações dos que seguem na disputa já iniciaram.
Maria do Carmo (PT) e Nélio Aguiar (DEM) disputam segundo turno em Santarém — Foto: Sílvia Vieira/G1

A partir desta segunda-feira (16), os candidatos que disputam o cargo de prefeito no segundo turno das eleições em Santarém, oeste do Pará, começam uma nova etapa da campanha em busca de votos. Maria do Carmo (PT) e Nélio Aguiar (DEM) já miram no apoio dos outros seis candidatos, que juntos, receberam mais de 34 mil votos no último domingo (15).

O G1 conversou com Maria e Nélio na manhã desta segunda-feira, e ambos disseram que vão dialogar com os outros candidatos por entenderem que o apoio deles será de grande ajuda para a definição do segundo turno das eleições no município. Veja abaixo em ordem alfabética:

Maria

“Eu penso que as pessoas entenderam que a nossa proposta de governo apresenta soluções viáveis para Santarém. Pra mim não foi fácil enfrentar a estrutura da máquina administrativa e o apoio tão explícito do governo do estado como foi feito aqui, apesar de saber que uma vez eleita o governador não vai me negar apoio e nem negar pra cidade de Santarém. Tenho certeza que eles esperavam passar o rolo compressor em cima do povo de Santarém, eu sinto que ao ir para o segundo turno eu derroto a estrutura oficial de governo que veio para a campanha”.

Nélio

“Era previsível que houvesse segundo turno até pela quantidade das candidaturas. A expectativa agora é que ao longo desses 15 dias aí vamos estar fazendo a campanha, mostrando nossas propostas e conquistando mais votos. Nós conseguimos sair na frente nesse segundo turno, nossa previsão é subir ainda mais nesses próximos 15 dias de campanha que restam, e dentro das nossas previsões ampliar o número de votos e conseguir vencer em definitivo no segundo turno ampliando ainda mais a nossa vantagem em cima da candidata do PT”.

Sobre o resultado das urnas no primeiro turno, Maria e Nélio disseram que já esperavam disputar o segundo turno, e ambos se consideram vitoriosos, por diferentes motivos. Veja abaixo em ordem alfabética:

Maria

“Eu sou uma pessoa que gosta de dialogar e tenho a compreensão de que todos os candidatos que disputaram contra o atual prefeito colocam seus nomes nesse pleito porque não concordam com a forma como a cidade está sendo governada, ou seja, e os votos que eles e eu recebemos mostram que a maior parte da população santarena não concorda com a forma como Santarém está sendo governada. Eu pretendo conversar com os outros candidatos e buscar esse apoio”.

Nélio

"A gente está conversando com os candidatos, mas a gente vai trabalhar muito como estratégia no segundo turno a apresentação das nossas propostas, continuar fazendo a nossa prestação de contas e conquistar esse eleitorado para que a gente possa aumentar nossa vantagem e ganhar a eleição em definitivo no segundo turno. Algumas lideranças são novas que também tiveram bom resultado na eleição, são lideranças mais ao centro/direita, que são anti esquerda, e a gente acredita muito na união com essas lideranças para ampliar a nossa vantagem de votos".

Os candidatos também falaram sobre o que faltou fazer por Santarém em seus mandatos, e que ainda pretendem fazer caso sejam eleitos no dia 29 de novembro. Veja abaixo em ordem alfabética:

Maria

"Nós queremos continuar o projeto de asfalto, continuar a Orla e concluir o hospital Materno Infantil, além de melhorar a gestão dos serviços de saúde pública, da educação e da assistência social. Eu quero que a população saiba que eu quero governar Santarém pra melhorar a gestão e executar as nossas propostas que são propostas viáveis".

Nélio

"A gente tem alguns projetos para Santarém que a gente não conseguiu realizar. Um deles é avançar na mobilidade urbana, melhorar o transporte coletivo da nossa cidade, e avançar também nos investimentos de água e esgoto do nosso município, fizemos alguns investimentos em saneamento e esgoto, mas precisamos avançar porque o modelo de microssistemas nos bairros é muito problemático para a população".

Fonte G1 Santarém 

Nenhum comentário