Header Ads




Município de Santarém conquista o Selo Unicef Edição 2017/2020

Unicef disponibilizará um guia para uso da marca Selo UNICEF aos municípios certificados
Excelente trabalho realizado pela Prefeitura de Santarém em favor das crianças e adolescente foi reconhecido

A prefeitura de Santarém, no oeste do Pará, está de parabéns, pois o Município foi contemplada com o Selo Unicef Edição 2017/2020, sendo o único da região Oeste que recebeu a certificação.

O excelente trabalho realizado pela Prefeitura de Santarém, através da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social, com políticas públicas para reduzir as desigualdades que afetam a vida das crianças e dos adolescentes, foi reconhecido.

“É grande a emoção de Santarém conquistar a certificação do Selo Unicef edição 2017/2020. Um trabalho em prol de crianças e adolescentes do nosso Município. Parabéns a todos que estiveram e sempre estarão à frente deste projeto, em especial à Secretária Municipal de Trabalho e Assistência Social, Celsa Brito; Roselene Andrade, que foi a grande articuladora do selo e demais envolvidos”, disse o prefeito Nélio Aguiar.

SAIBA MAIS

Os municípios certificados receberão um troféu, um certificado e a autorização para utilizar a logomarca do Selo UNICEF. O Articulador(a), o(a) Mobilizador(a) de Adolescentes e Jovens e o CMDCA, por meio de um(a) representante, também recebem um certificado de reconhecimento.

Quando um município é certificado, os maiores beneficiados são, sem dúvida, as crianças e adolescentes, que passam a contar com políticas públicas de qualidade voltadas para a garantia de seus direitos. Também ganham as famílias e a comunidade porque, para ganhar o Selo UNICEF, a gestão municipal deverá promover intensa mobilização, participação e engajamento social.

Os municípios certificados pelo Selo UNICEF passam a fazer parte de um grupo de municípios reconhecidos internacionalmente pelo UNICEF por seus avanços em favor da infância e adolescência.

COMO UTILIZAR A MARCA DO SELO UNICEF?

A logomarca do Selo UNICEF só pode ser utilizada por municípios certificados pelo UNICEF ao longo de uma edição da iniciativa, contando a partir da data do seu reconhecimento até o anúncio dos ganhadores da edição seguinte. Sendo assim, os municípios que forem certificados em 2020 poderão utilizar a marca do Selo UNICEF – Edição 2017-2020 até a data da próxima certificação realizada pelo UNICEF.

Durante a edição, os municípios participantes poderão fazer uso da logomarca do Selo UNICEF exclusivamente para as atividades previstas de mobilização, de realização dos Fóruns Comunitários e ações afins. Não é permitido usar a logomarca ou o nome Selo UNICEF para fins políticos, partidários ou eleitorais, sob pena de desclassificação do município.

O UNICEF disponibilizará um guia para uso da marca Selo UNICEF aos municípios certificados.

SELO UNICEF

O Selo UNICEF é uma estratégia para fortalecer as políticas públicas e reduzir as desigualdades que afetam a vida das crianças e dos adolescentes brasileiros que vivem na Amazônia e no Semiárido.

Com mais de 22 milhões de crianças e adolescentes em 2.134 municípios, as regiões do Semiárido e da Amazônia Legal brasileira são territórios prioritários para o UNICEF no Brasil. Isso porque neles estão as maiores concentrações de meninas e meninos em situação de exclusão e vulnerabilidade social no País.

Além dos desafios geográficos enfrentados por quem vive nessas regiões – como a seca em partes do Semiárido e as dificuldades de acesso em regiões da Amazônia –, há outros problemas que impactam a vida de crianças e adolescentes. Nos dois territórios, ainda há muitos meninos e meninas sem acesso a serviços básicos de saúde, escolas, água e saneamento e alimentação adequada.

Existem também crianças e adolescentes com acesso a direitos, mas não com a qualidade mínima necessária. Eles frequentam escolas sem infraestrutura e postos de saúde e hospitais sem profissionais em quantidades adequadas. Têm acesso a água suja, espaços de lazer precários, sistemas de proteção contra violência ineficientes e enfrentam tantos outros desafios que os impedem de crescer e se desenvolver com dignidade.

Fonte: Portal Santarém

Nenhum comentário