Header Ads




Prefeito de Santarém recebe certificado e troféu do Selo Unicef dição 2017/2020

Entrega de premiação aconteceu na manhã desta quinta-feira (10), na Casa da ONU, em Belém
Nélio Aguiar ao lado de Kassya Fernandes, do Selo Unicef Belém, durante cerimônia de premiação

O município de Santarém recebeu na manhã desta quinta-feira, 10, o certificado e o troféu do Selo Unicef edição 2017/2020. A honraria pelos trabalhos em prol de nossas crianças foi recebida em mãos pelo prefeito Nélio Aguiar, em cerimônia realizada na Casa da ONU, em Belém.

A premiação, segundo o Unicef, significa que as políticas públicas aplicadas pela atual gestão municipal possibilitaram mais crianças na escola, aprendendo; mais meninas e meninos com registro de nascimento, mais mulheres e bebês com acesso ao pré-natal, mais adolescentes participando ativamente das políticas públicas que impactam sua vida. Ou seja: mais meninas e meninos com seus direitos garantidos.

É a segunda certificação na área neste ano de 2020. O município já havia recebido, em julho, o prêmio ‘Prefeito Amigo da Criança’, concedido pela Fundação Abrinq.

SELO UNICEF

O Selo UNICEF é uma estratégia para fortalecer as políticas públicas e reduzir as desigualdades que afetam a vida das crianças e dos adolescentes brasileiros que vivem na Amazônia e no Semiárido.

Com mais de 22 milhões de crianças e adolescentes em 2.134 municípios, as regiões do Semiárido e da Amazônia Legal brasileira são territórios prioritários para o UNICEF no Brasil. Isso porque neles estão as maiores concentrações de meninas e meninos em situação de exclusão e vulnerabilidade social no País.

Além dos desafios geográficos enfrentados por quem vive nessas regiões – como a seca em partes do Semiárido e as dificuldades de acesso em regiões da Amazônia –, há outros problemas que impactam a vida de crianças e adolescentes. Nos dois territórios, ainda há muitos meninos e meninas sem acesso a serviços básicos de saúde, escolas, água e saneamento e alimentação adequada.

Existem também crianças e adolescentes com acesso a direitos, mas não com a qualidade mínima necessária. Eles frequentam escolas sem infraestrutura e postos de saúde e hospitais sem profissionais em quantidades adequadas. Têm acesso a água suja, espaços de lazer precários, sistemas de proteção contra violência ineficientes e enfrentam tantos outros desafios que os impedem de crescer e se desenvolver com dignidade.

Fonte Portal Santarém 

Nenhum comentário