Header Ads




Drive-Thru fluvial vacina 30 idosos contra Covid-19 na região do Aritapera, em Santarém

Idosos que moram em 5 comunidades do Aritapera chegaram ao local de vacinação em suas canoas motorizadas.
Idosos chegaram em suas bajaras (canoas motorizadas) para vacinação contra Covid-19 no drive-thru fluvial na região do Aritapera, em santarém — Foto: Ascom Semsa/Divulgação

Equipes de saúde da Semsa (Secretaria Municipal de Saúde) de Santarém, oeste do Pará, realizam a vacinação de 30 idosos a partir de 66 anos, na região do Aritapera, em Santarém, oeste do Pará, nesta sexta-feira (26). Para evitar aglomeração, a ação foi realizada em drive-thru fluvial.

Desde as primeiras horas da manhã, idosos que moram em 5 comunidades do Aritapera chegaram em suas rabetas (canoas motorizadas) e posicionaram as embarcações em fila para a vacinação.

Para garantir que as vacinas chegassem em perfeitas condições ao Aritarepa, a Semsa transportou o imunizante em lancha, e na comunidade a equipe de vacinação se deslocou em bajara para atender os idosos que já aguardavam dentro de suas embarcações.
Idosa da região do Aritarepa recebendo vacina contra a Covid-19 em drive-thru fluvial — Foto: Ascom Semsa/Divulgação

Apesar da difícil logística, os profissionais de saúde se mostraram muito felizes com a realização do drive-thru fluvial. "Eu não fiz enfermagem por dinheiro, eu fiz por amor, então, ver esses idosos sendo imunizados é uma realização e motivo muito grande felicidade pra mim. Aqui na comunidades nós temos muitos idosos, e eles estão realmente se isolando, se cuidando, para não adoecerem", contou Viviane Lemos, enfermeira da região do Aritarepa.

Uma idosa de 97 anos, com dificuldade de locomoção recebeu a dose da vacina da Astrazeneca em casa. Um levantamento prévio foi realizado pela Unidade Básica de Saúde (UBS) da região para facilitar o trabalho dos profissionais de saúde que precisaram fazer o deslocamento em rabeta, uma vez que as comunidades estão cobertas pelas águas do Rio Amazonas devido ao período de enchente.

As casas da região têm assoalhos suspensos - são habitações conhecidas como palafitas - construídas até mais de 2 metros de altura do solo para não serem invadidas pelas águas do rio durante o inverno amazônico.

De acordo com informações da Semsa, desde o surgimento do primeiro caso de Covid-19 em Santarém, 58 pessoas testaram positivo na região do Aritapera e outras 158 foram notificadas com sintomas da doença.

Fonte G1 Santarém 

Nenhum comentário