Header Ads




Equipes de salvamento fazem buscas por marinheiro fluvial que desapareceu de empurrador

Companheiros de viagem deram falta de Frank Silva Malheiros na região das comunidades Piracãoera de Cima e Boca de Cima do Aritapera, no Rio Amazonas.
Marinheiro fluvial de máquinas Frank Silva Malheiros — Foto: Reprodução/Redes sociais

Equipes de busca se dividiram em duas frentes na tentativa de localizar o marinheiro fluvial de máquinas Frank Silva Malheiros, que desapareceu na manhã de quarta-feira (21), durante viagem no empurrador Líder que saiu de Santarém com destino ao município de Óbidos, no oeste do Pará.

De acordo com informações do oficial de justiça Nerivaldo César, irmão de Frank, o marinheiro fluvial foi visto pelos companheiros de viagem por volta de 08h. Na hora do almoço, eles deram falta de Frank e logo acionaram a Capitania Fluvial de Santarém e familiares.

A embarcação que levava uma balsa com carga para o município de Óbidos passava pela região das comunidades Piracãoera de Cima e Boca de Cima do Aritapera, no Rio Amazonas, ainda em Santarém, quando os tripulantes notaram a falta de Frank.

Segundo Nerivaldo, ainda na quarta-feira à tarde, ele e alguns familiares saíram em voadeira (lancha) própria para aquela região e fizeram buscas até por volta das 16h. Contaram com apoio de lancha da Marinha do Brasil, que tinha um mergulhador do Corpo de Bombeiros, e outra lancha da polícia.

Buscas por marinheiro fluvial prosseguem em Santarém e também em direção a Monte Alegre, no PA — Foto: Reprodução/Redes sociais

Equipes dos Bombeiros, Polícia e Capitania estão fazendo buscas desde às primeiras horas da manhã desta quinta-feira (22), assim como, um grupo de familiares do desaparecido.

"Uma equipe foi subindo o rio Amazonas até onde a balsa chegou e lá houve a constatação da ausência. Outra equipe desceu em direção á Monte Alegre, no sentido nessa ponta chamada de Ponta do urubu que dá acesso á comunidade Santana do Tapará. Eu desci com mais umas três lanchas que estão fazendo zigue-zague comigo em toda essa área de um lado para outro, principalmente no leito do rio. Cheguei até à comunidade Aracampina bem abaixo da Boca de Baixo do Ituqui", relatou Nerivaldo César, que segue nas buscas.

Fonte G1 Santarém 

Nenhum comentário