Header Ads




Mesmo em tempos de crise, empregos formais no setor da construção crescem no Pará

Nos últimos 12 meses, foram criados mais de 10 mil novos postos de trabalho no setor, segundo pesquisa do Dieese
Crédito: © Elza Fiúza/Agência Brasil

Mesmo em tempos de crise socioeconômica, o emprego formal no setor da construção apresentou crescimento nos últimos 12 meses. O índice também foi observado no período dos primeiros dois meses deste ano, segundo pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

De acordo com o balanço efetuado pelo Dieese, nos últimos 12 meses houve crescimento na geração de empregos formais em todo o Pará no setor da construção. Foram feitas no período analisado (março de 2020 a fevereiro de 2021) 58.527 admissões, contra 51.655 demissões, com a geração de 6.872 postos de trabalhos.

As análises do Dieese mostram ainda que nos últimos 12 meses, a maioria dos estados da Região Norte apresentaram saldos positivos de empregos formais, no comparativo entre admitidos e desligados, com destaque para o Pará com a geração de 6.872 postos de trabalhos, seguido do Tocantins com 3.855 novos postos de trabalhos e de Roraima com 1.061. Na outra ponta, o destaque negativo na queda de empregos formais no setor ficou por conta de Rondônia com a perda de 751 empregos, seguido do Amazonas com a diminuição de 592 postos de trabalhos e do Amapá com a perda de 145.

Ainda de acordo com o Dieese, em toda a Região Norte, foram contabilizadas 104.164 admissões contra 93.630 desligamentos, gerando um saldo positivo de 10.534 postos de trabalhos nos últimos 12 meses.

Crescimento em fevereiro

Também foi observado crescimento na geração de empregos formais em todo o Pará no mês de fevereiro de 2021. Foram 5.106 admissões contra 4.503 desligamentos, totalizando 603 novos postos de trabalhos. No mesmo período do ano passado, a situação no setor foi inversa, com 4.361 admissões, contra 5.250 desligamentos com a perda de 889 postos de trabalhos.

Segundo o Dieese, este aumento também foi observado em toda a Região Norte, com destaque para o estado do Pará, com a geração de 603 postos de trabalhos, seguido do Amapá com 96, e Acre com 80 novos empregos. Na outra ponta, apenas Amazonas apresentou queda com a perda de 358 postos.

Ainda de acordo com as análises, no mês de fevereiro deste ano, foram criadas no setor da construção em toda a Região Norte, 8.363 admissões contra 7.787 desligamentos com a geração de 576 postos de trabalhos formais.

Dois primeiros meses de 2021

O estudo do Dieese aponta que nos dois primeiros meses de 2021, o setor apresentou crescimento de empregos formais, no comparativo entre admitidos e desligados. Foram 9.444 admissões, contra 8.814 desligamentos, com a geração de 630 postos de trabalhos. No mesmo período do ano passado, a situação foi inversa, pois houve queda na geração de empregos formais, com 8.697 admissões, contra 9.845 desligamentos com a perda de 1.148 postos de trabalhos

As análises mostram ainda que nos dois primeiros meses de 2021, a maioria dos estados da Região Norte apresentaram saldos positivos na geração de empregos formais, com destaque para o Pará com 630 novos postos de trabalhos, seguido do Tocantins com 262, e Roraima com 185 novos empregos. Na outra ponta, o destaque negativo ficou por conta do Amazonas com a perda de 527 postos de trabalhos e do Amapá com a perda de 112.

Ainda de acordo com o Dieese, nos dois primeiros meses de 2021 foram feitas no setor da construção em toda a Região Norte, 16.266 admissões contra 15.674 desligamentos, com a geração de 592 postos de trabalhos

Parceria

O estudo foi realizado com base em informações oficiais do Ministério da Economia segundo o novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Cgaed), como parte do projeto do Observatório do Trabalho do Estado do Pará, parceria entre o Dieese e o Governo do Estado do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster)

Fonte: Ascom/Dieese

Nenhum comentário