Header Ads




Adepará iniciou Campanha da Febre Aftosa neste sábado, 01

Crédito; Agência Pará 

A partir deste sábado, 1º de maio, inicia a primeira etapa da campanha de vacinação de 2021 contra a febre aftosa no Pará, na qual bovinos e bubalinos de todas as idades devem ser vacinados até 30 de maio. A expectativa é vacinar cerca de 21.541.168 milhões de bovinos e 174.310 mil bubalinos, segundo a Agência de Defesa Agropecuária do Estado (Adepará). Hoje, o Pará tem 22.371.788 milhões de cabeças de gado cadastradas e mais de 60% de todo o rebanho paraense tem idade acima de dois anos, em aproximadamente 103 mil propriedades.

Após vacinarem os animais, os produtores têm até 15 de junho para comprovar o ato. A autodeclaração da vacina poderá ser feita por meio do Sistema de Integração Agropecuária (Siapec). Além dessa forma, o produtor pode realizar a notificação em um escritório do município de origem da sua produção. Na ocasião, devem ser informados os dados do rebanho e da nota fiscal de aquisição da vacina.
Com uma dose de 2 ml, a vacina contra a febre aftosa deve ser administrada através da via subcutânea ou intramuscular, na região da tábua do pescoço (terço médio) do animal.

Qualidade
 
O Plano Estratégico do Programa Nacional de Febre Aftosa (PNEFA) pretende criar e manter condições sustentáveis para garantir o status de país livre de aftosa e ampliar as zonas de status livre da doença sem vacinação. Para realizar a transição dos status sanitários, foram considerados critérios técnicos e estratégicos. Para isso, o cumprimento calendário preconizado para a etapa de vacinação, objetivando a manutenção da sanidade do nosso rebanho.

A gerente de defesa animal Melanie Castro, explica que “A união dos esforços públicos e privados, a infraestrutura dos serviços veterinários e os fundamentos técnicos são a base para a conquista. O objetivo agora é que o Brasil possa retirar a vacinação contra a febre aftosa de todos os estados brasileiros e comprovar um eficiente sistema de defesa sanitário animal do rebanho brasileiro". Para comprovar a vacinação, é necessário apresentar, além da nota fiscal de aquisição da vacina, a relação do rebanho, com a quantidade de animais, faixa etária e espécie trabalhada. O produtor que não notificar a vacinação estará sujeito à multa, cujo valor pode variar de acordo com a quantidade de animais.
 
Serviço

A Agência de Defesa Agropecuária está presente nos 144 municípios paraenses e disponibiliza a Ouvidoria para recebimento de denúncias. Os telefones para contato são: 3210-1101, 1105 e 1121. Caso a preferência seja por telefone celular, o contato é o 99392-4264.
Com informações da Agência Pará

Com informações da Agência Pará/ Roma News

Nenhum comentário