Header Ads




Arquidiocese de Santarém cria escola para formação de diáconos permanentes


Crédito: Ascom Pastoral.

A Escola Diaconal São Lourenço da Arquidiocese de Santarém tem sua abertura neste sábado, 8 de maio, através de uma celebração eucarística, às 7h30, na Catedral Metropolitana de Santarém, presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Irineu Roman, CSJ. Logo em seguida, acontece a aula inaugural. Neste primeiro semestre as aulas serão por sistema semipresencial, por causa da pandemia da covid-19. Em preparação para o início da escola, os candidatos realizaram um retiro espiritual individual de 1 a 3 de maio, seguindo o tema: “Ministério de Jesus: Encontros transformadores”.

De acordo com o diretor da Escola Diaconal, pe. Sidney Canto, a formação de Diáconos Permanentes na Arquidiocese de Santarém terá a duração de quatro anos, e seguirá as orientações emanadas pela Conferência Nacional do Bispos do Brasil – CNBB, com as adaptações necessárias à realidade pastoral da Arquidiocese. Esta primeira turma conta com 52 homens casados inscritos. São pais de família de diversas comunidades da Arquidiocese, alguns são de Santarém e outros de comunidades do interior.

A Escola Diaconal São Lourenço foi criada pelo arcebispo Dom Irineu Roman, através do Decreto 12/2020 de 05 de novembro de 2020.

O Diaconato permanente

O Diácono permanente é um homem casado que expressa sempre o mistério do Cristo que “veio para servir” (Mc 10, 45). Por isso mesmo, os escolhidos devem ser homens que tenham demonstrado, com suas palavras e ações, o propósito de darem a sua vida em favor do povo. Este ministério, surgido por inspiração do Espírito Santo, nos Atos dos Apóstolos, foi instituído por conta do “aumento do número dos discípulos”, para melhor atender “aqueles e aquelas que eram esquecidos” (At 6, 1-7).

Funções do Diácono Permanente

Conforme o Concílio Vaticano II, o diácono exerce suas funções em três âmbitos bem definidos: Ação Litúrgica, Evangelização e Serviço da Caridade. Apesar de ter essas funções, os diáconos permanentes devem ter em mente que deverão colaborar com o Arcebispo na ação evangelizadora da Igreja em Santarém, tanto no campo territorial como ambiental, devendo fazer com que o Evangelho de Cristo chegue a todas as pessoas nos lugares onde o diácono vive e trabalha. Sendo assim, haverá diáconos que vão se fazer presentes nas Pastorais Sociais, na Educação, nos Meios de Comunicação Social, nos Hospitais, Presídios, nos meios militares, na segurança pública, nos ambientes de Justiça, no funcionalismo público, etc.

Período de Formação

A Formação para o Diaconato Permanente será num período de quatro anos e compreenderá três períodos: O primeiro período: o Propedêutico. O segundo período: a Formação para o Diaconato. O terceiro período: a Formação Permanente (que será feita após a ordenação diaconal).

Fonte: Pastoral da Comunicação.

Nenhum comentário