Header Ads




Com dois anos e meio de mandato, Helder cumpre apenas 20% das promessas de campanha


Crédito: Marcello Camargo/Agência Brasil

Em dois anos e meio de mandato, o governador do Pará Helder Barbalho não cumpriu apenas 20% as promessas feitas durante a campanha eleitoral de 2018. O levantamento foi feito pelo site da Globo.

Segundo o levantamento, em dois anos e meio, Helder Barbalho cumpriu apenas 10 promessas que constam no plano de governo. 24 promessas não foram cumpridas ainda e 16 foram cumpridas em parte.

Na área da administração, Helder não cumpriu duas importantes promessas feitas na campanha eleitoral de 2018. A criação da incubadora de políticas públicas que seria usada para estimular empresas e startups na elaboração de soluções voltadas ao enfrentamento dos gargalos na prestação dos serviços à população e criação de novos produtos para melhor atender a população.

Outra promessa que ainda não foi cumprida é a criação do Programa GovTech, iniciativa que tem o objetivo de apoiar serviços inovadores, que promovam a inovação do setor público, em primeira instância, e apresentem soluções, em nível estadual e local, para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Ambas promessas constam no Plano de Governo.

Helder Barbalho também não cumpriu uma das principais promessas feitas na área da educação, que é a criação de novas creches nos municípios. O que chama a tenção é que em 18 de maio de 2021, o governo lançou o programa 'Creches por todo o Pará', em que assinou termo com 90 das 144 prefeituras municipais para a execução do programa. O programa foi criado pela Lei Estadual nº 9.256/21 e prevê a construção de creches para crianças de até 5 anos de idade em regime de colaboração entre o estado e os municípios.

Os professores estaduais também aguardam pela promessa feita por Helder Barbalho de aumentar o piso salarial. O atual piso salarial, de R$ 2.886,24, ainda não é pago aos professores estaduais no estado. O assunto continua em fase de tratativas entre o Sindicato dos Professores, Procuradoria-Geral do Estado, Secretaria de Planejamento e Administração e Secretaria de Estado de Educação. Hoje os professores recebem o piso de 2015, R$ 1.917,78, e esperam trânsito em julgado pelo STF para que o governo seja obrigado a pagar o piso de 2016, R$ 2.135,64, mais os valores retroativos.

O prolongamento da Avenida João Paulo II até a Alça Viária ainda não foi cumprida também. O governo diz que está em fase de estudos e elaboração preliminar de viabilidade e que a obra está prevista no PPA 2020-2023.

Fonte Roma News 

Nenhum comentário